Polícia cumpre 21 mandados de prisão e 21 de busca e apreensão em Joinville e Região - Segurança - A Notícia

Vers?o mobile

 
 

Segurança14/11/2018 | 11h17Atualizada em 14/11/2018 | 11h54

Polícia cumpre 21 mandados de prisão e 21 de busca e apreensão em Joinville e Região

Objetivo da operação é desarticular organização criminosa que atua no tráfico de drogas. 12 pessoas já foram presas na manhã desta quarta-feira (14)

Polícia cumpre 21 mandados de prisão e 21 de busca e apreensão em Joinville e Região Draco/Divulgação
Em um dos endereços em que as buscas ocorreram foram localizados arma, munição, celulares, drogas, dinheiro e balança Foto: Draco / Divulgação

Uma operação deflagrada pela Polícia Civil na manhã desta quarta-feira (14) cumpre 21 mandados de prisão e 21 mandados de busca e apreensão nas cidades de Joinville, Barra Velha, Penha e Camboriú, no Litoral Norte Catarinense. O alvo são suspeitos de integrarem uma organização criminosa envolvida no tráfico de drogas e em homicídios registrados na Região. Pela manhã ao menos 12 pessoas já haviam sido presas, sendo quatro mulheres e oito homens.

As diligências são lideradas por 80 policiais civis da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic) e da Divisão de Repressão ao Crime Organizado (Draco). Segundo a polícia, a abertura do inquérito policial que culminou nas ações desta quarta-feira iniciaram há seis meses e, durante as investigações, foi constatado que eles atuam no tráfico de drogas e estão envolvidos em algumas disputas territoriais por pontos de vendas de drogas.

De acordo com o delegado Antonio Joca, da Draco, também foram colhidos elementos de prova referente a essa disputa (por territórios), e identificadas duas tentativas de homicídio e dois homicídios efetivados nos últimos dois meses - as provas serão compartilhadas com a Delegacia de Homicídios de Joinville, local dos crimes. Houve ainda a apreensão de drogas, balanças de precisão, celulares, dinheiro e armas com os membros da facção. 

Delegacia de Homicídios de Joinville prende autores de morte ocorrida no Jardim Paraíso

— Os alvos das buscas são endereços de propriedade ou posse deles (organização criminosa) utilizados para guardar armas e drogas, e alguns residiam nos locais. O que mais chamou a atenção da polícia são as armas de fogo que estão circulando nas mãos desse pessoal. Durante a investigação três pessoas foram presas com arma de fogo e hoje uma delas também foi presa com uma arma com numeração raspada. Identificamos inclusive que eles possuem pelo menos dois fuzis na posse deles (ainda não apreendidos) — aponta o delegado.

Os itens apreendidos foram separados, embalados e encaminhado ao Instituto Geral de Perícias (IGP). Já os presos em flagrante foram levados para a Central de Polícia e devem responder por tráfico de drogas e organização criminosa.

Diligências ainda seguem em curso nas próximas horas com o objetivo de cumprir os outros nove mandados de prisão restantes. As expedições foram concedidas pelo Poder Judiciário da Comarca de Joinville e as prisões são de caráter temporário (prazo de 30 dias). A representação foi integralmente deferida nessa data pela 4ª Vara Criminal da Comarca de Joinville.

JOINVILLE, SANTA CATARINA, BRASIL (14/11/2018): Delegado da Draco, Antonio Joca, comenta operação deflagrada pela Polícia Civil na manhã desta quarta-feira (14) cumpre 21 mandados de prisão e 21 mandados de busca e apreensão nas cidades de Joinville, Barra Velha, Penha e Camboriú, no Litoral Norte Catarinense.
Delegado Antonio Joca, da Draco, comenta resultados da operação deflagrada nesta quarta-feira em JoinvilleFoto: Luan Martendal / A Notícia

Atuação dentro do sistema prisional

De acordo com o delegado Antonio Joca, dentre os 12 integrantes do grupo presos, seis deles já são internos do sistema prisional e agem principalmente dando ordens aos membros que estão na rua. As ordens, segundo ele, são relativas ao domínio de território para a venda de drogas e de ações contra a vida de desafetos da organização criminosa. Com a desarticulação de parte importante do grupo, a Polícia Civil acredita que a ação tende a reduzir o número de homicídios na cidade mais populosa do Estado.

— A gente trabalha com esse foco e desarticular esse grupo criminoso é um passo importante porque sabemos que muito do aumento dos homicídios está relacionado a essas disputas por pontos de vendas de drogas. Então identificando e retirando de circulação importantes lideranças, com isso a polícia tenta diminuir esses índices — conclui Joca.

Polícia prende suspeitos de integrar facção criminosa, roubar casas e amarrar vítimas em Joinville

 
A Notícia
Busca