Número de assassinatos cai 37,9% neste ano em Joinville - Segurança - A Notícia

Vers?o mobile

 
 

Segurança26/10/2018 | 08h01Atualizada em 26/10/2018 | 08h03

Número de assassinatos cai 37,9% neste ano em Joinville

Levantamento foi feito de janeiro a 24 de outubro. Diminuição acontece depois de três anos consecutivos de recordes

Número de assassinatos cai 37,9% neste ano em Joinville Salmo Duarte/Agencia RBS
Número de mortes violentas diminuiu quase 38% em Joinville Foto: Salmo Duarte / Agencia RBS

De janeiro a 24 de outubro, o número de mortes violentas diminuiu 37,9% em Joinville em comparação ao mesmo intervalo de tempo do ano passado. Levantamento realizado pelo jornal A Notícia aponta que 72 pessoas foram mortas neste período – 68 homicídios e quatro mortes por intervenção policial. No mesmo período do ano passado, o município registrou 116 crimes desta natureza. A diminuição acontece depois de três anos consecutivos de recordes nas estatísticas da violência no município.

Em 2015 – ano em que as mortes violentas apresentaram um grande salto na cidade –, o número de assassinatos registrado até 24 de outubro foi 95 (este ano foi 24,2% a menos) e em 2016, 97 (este ano houve redução de 25,7%). De acordo com a Polícia Civil, esses índices são resultado da união no trabalho das forças de segurança do município e a celeridade nos processos. 

O principal exemplo é o homicídio registrado no último sábado, quando Jonathan William Martendal, 25 anos, foi morto a tiros na Zona Oeste da cidade. Dias antes, o jovem havia sofrido tentativas de assassinato. No dia do crime, ele foi raptado em São Francisco do Sul. Cinco dias após o assassinato, os suspeitos já foram identificados pela Polícia Civil e o inquérito policial pode ser concluído em breve.

 Homicidio no bairro Comasa,rua Ponte Serrada, no locl foram encontradas mais de 40 capsula de arma de fogo.
União no trabalho das forças de segurança do município e a celeridade nos processos contribuem para diminuiçãoFoto: Salmo Duarte / A Notícia

— Essa diminuição vem de uma conjugação de esforços: primeiro a identificação razoável dos autores, depois nas medidas judiciais deferidas com celeridade e, assim, o aumento no número de prisões. Então, você retira de circulação um significativo número de envolvidos nas mortes — explica o delegado Dirceu da Silva Júnior, da Delegacia de Homicídios (DH). 

Força-tarefa em combate ao crime 

Até outubro deste ano, a polícia prendeu 124 pessoas envolvidas em homicídios. Essas detenções resultam na desarticulação das organizações criminosas, um dos principais fatores apontado pelo delegado para a diminuição da violência na cidade. A maioria dos homicídios dolosos (com intenção) está diretamente ligada à atuação destes grupos, principalmente no controle pelo tráfico de drogas nos bairros do município.

O delegado ainda aponta a eficiente atuação e união dos órgãos de segurança, como a Polícia Militar, o Instituto Geral de Perícias (IGP) e a recém-criada Vara do Tribunal do Júri, por exemplo, para a queda no número de assassinatos. Para ele, o trabalho em conjunto – desde o homicídio até o decorrer do processo – acontece com celeridade, acarretando melhor qualidade nas investigações e diminuição das estatísticas. Como no caso do jovem morto no sábado.

— Você não perde provas ou informações. No local do crime, você já pode arrolar alguma testemunha, falar com informantes ou fazer comparação balística. O resultado é por causa da união das forças de segurança  — defende o delegado.

Operação da PM ainda não tem data para terminar em Joinville
Diminuição no número pode refletir a intensificação das barreiras, rondas e operações de varreduras da PMFoto: André Buzzi / NSCTV

Reforço em barreiras e operações reflete na diminuição

O reforço nas barreiras policiais diárias, espalhadas pelas ruas da cidade, também contribui para a derrubada nas mortes violentas. De acordo com o coronel Dirceu Neundorf, comandante da 5a Região de Polícia Militar (RPM), a diminuição no número pode refletir a intensificação das barreiras, rondas e operações de varreduras da PM nos bairros joinvilenses. As ações ostensivas têm como objetivo identificar e prender criminosos com mandados em aberto, apreensão de armas e drogas e prevenção de crimes.

– A diminuição do número da criminalidade em Joinville também é um reflexo dessas ações e operações que a polícia vem fazendo pela cidade. Além disso, com o setor de inteligência da PM também é possível identificar possíveis locais de crimes, assim nós realizamos operações especificas nestes locais – ressalta o comandante.

A redução no número de assassinatos representa também uma queda na criminalidade de uma maneira geral em Joinville, porque os delitos têm relação entre si, como roubos e os crimes de tráfico. O reforço no combate ao tráfico de drogas e prisão de pessoas envolvidas, por parte da Polícia Civil e por operações da Polícia Militar, reflete em uma redução do número de crimes contra a vida e vice versa.

Leia mais:

Homens e jovens são maioria entre as vítimas de assassinato em Joinville

Homem teria sido morto por engano, aponta investigação da Polícia Civil de Joinville


 
A Notícia
Busca