Polícia indicia 38 pessoas suspeitas de fraudar diárias de Câmaras do Planalto Norte de SC - Segurança - A Notícia

Versão mobile

 

Crime13/09/2018 | 17h58Atualizada em 13/09/2018 | 17h58

Polícia indicia 38 pessoas suspeitas de fraudar diárias de Câmaras do Planalto Norte de SC

As investigações demonstraram que vereadores, servidores e assessores das Câmaras de Vereadores de São Bento do Sul e Rio Negrinho estariam envolvidos no esquema

Polícia indicia 38 pessoas suspeitas de fraudar diárias de Câmaras do Planalto Norte de SC Lisandra Oliveira/NSC TV
Investigação foi feita pela Polícia Civil do Planalto Norte Foto: Lisandra Oliveira / NSC TV

A Polícia Civil indiciou 38 pessoas suspeitas de fraudar o pagamento de diárias do Legislativo no Planalto Norte Catarinense. De acordo com o delegado Odair Sobreira, de São Bento do Sul, as investigações demonstraram que vereadores, servidores e assessores das Câmaras de Vereadores de São Bento e Rio Negrinho receberam diárias para participar de cursos que nunca foram ministrados.

O inquérito é um desdobramento da Operação Iceberg, deflagrada pela Divisão de Defraudações da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic) em Tijucas, no final de 2015.

- O esquema demonstrou que, tanto os servidores envolvidos quanto os vereadores, recebiam os valores das diárias, assim como empresários que faziam parte do esquema lucravam com as inscrições – explica o delegado.

As apurações ainda apontaram que três empresas paranaenses eram responsáveis pelos contratos com as Câmaras de Vereadores para fornecer os cursos fantasmas. Ainda de acordo com o delegado, a polícia também apurou que um hotel emitia notas fiscais apenas para justificar o pagamento das diárias para os servidores e vereadores das Câmaras.

Segundo o delegado Gustavo Muniz Siqueira, em São Bento do Sul, uma funcionária que exercia a função de contadora chegou a denunciar as irregularidades à época dos crimes para a presidência da Câmara. Ela também teria sido processada pelo proprietário da empresa envolvida no esquema por uma suporta calúnia, mas o processo foi arquivado.

Já em Rio Negrinho, um vereador, com a intenção de verificar a autenticidade dos cursos que estavam sendo muito frequentados pelo Legislativo, se matriculou nas aulas. Ele relatou à polícia que os participantes ficavam no hotel “jogando baralho” e voltaram um dia antes de terminar o curso fictício. O vereador que denunciou devolveu o dinheiro das diárias que havia recebido para fazer as aulas.

Dois inquéritos foram elaborados e encaminhados ao Ministério Público, sendo 15 indiciamentos em São Bento e 23 em Rio Negrinho. Os 38 indiciados podem responder por peculato, por apropriação do dinheiro público, e falsidade ideológica, pelo preenchimento de notas e certificados fraudulentos.

São Bento do Sul:
Quantidade de inscrições nos cursos: 48
Anos: 2007, 2008 e 2014
Valores gastos com inscrição: R$ 19.515,00
Valores gastos com diárias: R$ 46.973,00
Investigados: 27
Indiciados: 15

Rio Negrinho
Quantidade de inscrições nos cursos: 306
Anos: 2007 a 2012 e 2016.
Valores gastos com inscrição: R$ 135.620,00
Valores gastos com diárias: R$ 479.479,03
Investigados: 29
Indiciados: 23

 

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaFesta das Flores deve movimentar R$ 5 milhões em Joinville https://t.co/DRQrGzL19h #LeianoANhá 22 horas Retweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaJEC/Krona confirma renovação de contrato de mais três atletas https://t.co/tD2ljgc7Rv #LeianoANhá 1 diaRetweet
A Notícia
Busca