Polícia prende grupo que sequestrou família de motorista para inserir armas na Penitenciária de Joinville - Segurança - A Notícia

Vers?o mobile

 

Polícia27/07/2018 | 17h00Atualizada em 27/07/2018 | 17h13

Polícia prende grupo que sequestrou família de motorista para inserir armas na Penitenciária de Joinville

Operação deflagrada nesta sexta-feira visa combater o crime organizado na região

Polícia prende grupo que sequestrou família de motorista para inserir armas na Penitenciária de Joinville Polícia Civil de Joinville/Divulgação
Materiais apreendidos durante a operação Foto: Polícia Civil de Joinville / Divulgação

A Polícia Civil, por meio da Divisão de Investigação Criminal de Joinville, deflagrou uma operação contra o crime organizado nesta sexta-feira, 27 de julho, quando foram cumpridos cinco mandados de busca e apreensão, quatro em Joinville e um em Araquari. O trabalho da polícia deflagrado hoje faz parte de uma investigação iniciada em novembro de 2017 após a localização de duas pistolas, 27 facas e de drogas pela direção da Penitenciária Industrial de Joinville. 

Segundo as investigações, o ingresso dos objetos ilícitos foi planejado por uma organização criminosa que tinha como objetivo dominar as galerias da Penitenciária e cometer crimes contra as vidas dos detentos de uma organização criminosa rival. Para garantir o sucesso da empreitada, a facção sequestrou a família do motorista que transportava matéria-prima para a Penitenciária e, mediante ameaça, ele foi obrigado a permitir que os autores colocassem os materiais ilícitos em meio à carga de parafusos que seria levada para Penitenciária Industrial.

Conforme investigação, os criminosos utilizavam aparelhos celulares dentro dos presídios para comunicarem-se entre si e combinar outros crimes. Em relação ao tráfico de drogas, o grupo é responsável pela venda de drogas no bairro Itinga, em Araquari. Foram identificados oito autores que participaram diretamente na execução do sequestro e, na operação, foram apreendidos aparelhos celulares, cartas e drogas. A operação e investigação contaram com apoio dos agentes penitenciários de Joinville e de peritos do IGP de Joinville.

Conforme o delegado Fábio Estuqui, os presos vão responder inquérito pelos crimes de sequestro; porte ilegal de armas e tráfico de drogas. Um segundo inquérito vai apurar o crime de organização criminosa.

 
A Notícia
Busca