Crianças recebem orientação sobre violência e direitos em Joinville - Segurança - A Notícia

Versão mobile

 

Assistência Social04/07/2018 | 10h53Atualizada em 04/07/2018 | 11h11

Crianças recebem orientação sobre violência e direitos em Joinville

Roda de conversa aconteceu nesta terça-feira, na região Sul da cidade

Crianças recebem orientação sobre violência e direitos em Joinville Phellippe José/Prefeitura de Joinville
Foto: Phellippe José / Prefeitura de Joinville

Violência doméstica, brigas conjugais, ameaças e igualdade de direitos entre homens e mulheres foram os temas abordados na roda de conversa entre psicólogos e crianças, no bairro Paranaguamirim, na zona Sul de Joinville. A reunião ocorreu nesta terça-feira pela Secretaria de Assistência Social da Prefeitura dentro do projeto "Direito das Mulheres, Igualdade e Enfrentamento à Violência Contra a Mulher".

O público era formado por crianças com defasagem escolar e em situação de vulnerabilidade encaminhadas pelo Centro de Referência em Assistência Social (Cras). O objetivo da ação é prevenir a violência contra a criança, mulher e promover a igualdade de direitos. 

— Nossa meta é mostrar a esses grupos seus direitos e a possibilidade de acolhimento por entidades governamentais e não governamentais — explica Ana Aparecida Pereira, responsável pela Coordenação de Políticas Públicas para as Mulheres. 

As rodas de conversas são levadas a vários Cras, especialmente aqueles em que é registrado maior número de casos de vulnerabilidade social, como no bairro Paranaguamirim. Os casos reunidos pela Secretaria de Assistência Social indicam que em Joinville, a cada cinco mulheres, três sofrem algum tipo de violência. 

A conversa com as crianças é conduzida por psicólogas vinculadas à Delegacia da Mulher e às secretarias de Assistência Social e da Saúde. As apresentações enfatizam a igualdade de direitos entre homens e mulheres, a violência física e sexual também contra as crianças e os serviços públicos disponíveis como delegacia de polícia e a Casa Abrigo Viva Rosa, onde são acolhidas mulheres e crianças. O endereço é sigiloso. 

Também são colaboradores na iniciativa o Conselho Municipal dos Direitos das Mulheres, Núcleo Maria da Penha, Associação Catarinense de Ensino e Unidades Básicas de Saúde da Família Paranaguamirim, Estevão de Mattos e Jardim Edilene.

Veja agenda para outras rodas de conversa:
Quarta-feira, 4 de julho: das 8h30 às 10h30 – 30 adolescentes
— Sexta-feira, 13 de julho: 8h30 às 10h30 – 30 idosos


 
A Notícia
Busca