Joinville registra quatro homicídios e quatro tentativas na 1ª semana do ano - Segurança - A Notícia

Versão mobile

 

 

Segurança07/01/2018 | 14h29Atualizada em 08/01/2018 | 13h05

Joinville registra quatro homicídios e quatro tentativas na 1ª semana do ano

Três dos assassinatos foram registrados entre sábado e domingo

Joinville registra quatro homicídios e quatro tentativas na 1ª semana do ano Salmo Duarte/A Notícia
Foto: Salmo Duarte / A Notícia

*Esclarecimento: A morte ocorrida no dia 1º de janeiro ocorreu na Rua Santa Isabel, no bairro João Costa, e não na Rua Princesa Isabel, no Centro. O dado foi repassado de forma equivocada pela Polícia Civil e corrigido às 13h desta segunda-feira (8).

A primeira semana do ano foi violenta em Joinville. Em sete dias foram registrados quatro homicídios e quatro tentativas, a maioria dos crimes com morte ocorreram entre sábado  e a manhã deste domingo (7). A informação foi confirmada pelo delegado da Divisão de Investigações Criminais (DIC), Rodrigo Aquino Gomes.

Confira mais notícias de Joinville e região

O caso mais grave no final de semana aconteceu dentro do Presídio Regional de Joinville, quando dois dos detentos foram mortos com golpes de uma arma improvisada. Os crimes foram registrados nos pátios 1 e 2 do Pavilhão 5 na tarde de sábado, e três suspeitos se apresentaram como os autores.

As vítimas foram identificadas pelo Instituto Médico Legal (IML) de Joinville como Mayron Alceu Bayer, 28 anos, e Cristofer dos Santos Valério, 18 anos. Conforme o órgão, o corpo do primeiro detento foi transladado para Rio Negrinho, no Norte catarinense. Já Cristofer ainda aguardava liberação funerária para Guaratuba, no Paraná, de onde era natural.

Os responsáveis pelas mortes tiveram flagrante lavrado na Central de Polícia e a investigação ainda deve analisar imagens de segurança e realizar perícias para verificar a possível participação de outros presos.

Na avaliação do juiz da execução penal de Joinville, João Marcos Buch, as mortes dentro da unidade prisional expõem a necessidade de melhorias no presídio.

— Em princípio esse crime não foi decorrente de conflitos entre facções criminosas, que gera uma preocupação grande para a área da segurança pública, indicando um fato isolado. Em contrapartida, o que tem que haver no Presídio Regional de Joinville é uma solução para o problema de superlotação, melhoria na estrutura e reforço de recursos humanos para evitar que ações como essa voltem a ocorrer — salienta o magistrado.

Crime passional

Do lado de fora do presídio, outros dois homicídios aconteceram na cidade entre o dia primeiro e sete de janeiro. Na segunda-feira, uma discussão familiar provocou a morte de um homem (identidade não divulgada) na Rua Santa Isabel, no João Costa. O crime ocorreu no quintal da casa dele.

Conforme a DIC, a vítima foi morta com golpes de paulada e a suspeita é de que o crime tenha sido passional. O indicativo é devido ao fato de que o homem mantinha uma relação conturbada com a companheira. No entanto, a Polícia Civil diz que a mulher já teria feito boletins de ocorrência contra ele antes da morte. ‘Cabe agora a Delegacia de Homicídios conduzir o inquérito policial sobre os casos e, só eles, poderão, com o tempo, responder acerca da autoria’, destaca.

Já o quarto homicídio de 2018 foi registrado na madrugada de sábado para domingo no bairro Paranaguamirim. Bruno Willian Borges, de 21 anos, foi atingido com vários disparos de arma de fogo. A vítima foi surpreendida na rua, nas proximidades da Monsenhor Gercino, e o corpo foi recolhido pelo Instituto Geral de Perícias (IGP).

De acordo com o delegado Rodrigo Aquino Gomes, o aumento no número de homicídios violentos, em especial, no fim de semana, tem relação com o tráfico de drogas e facções criminosas.

— Infelizmente a semana começa como o ano passado terminou. Creio que o ideal seriam estratégias para combater as causas, principalmente o tráfico e as organizações criminosas. Além disso, é preciso investir em políticas públicas voltadas para áreas de risco, já que a violência é muito mais que uma questão só de polícia — justifica.

Tentativas de homicídio

Além dos quatro homicídios consumados, Joinville contabiliza em 2018 o mesmo saldo com relação as tentativas de assassinato. Foram quatro em uma semana, sendo três delas no Jardim Paraíso e uma no Aventureiro.

Entre as ocorrências está o registro envolvendo um adolescente de apenas 14 anos. O garoto foi atingido por ao menos sete tiros na Zona Norte de Joinville na madrugada de sexta-feira para sábado. O caso aconteceu no bairro Jardim Paraíso e, conforme a polícia, o crime pode ter relação com o tráfico de drogas.

O adolescente recebeu socorro do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) e foi encaminhado para o Hospital Infantil Dr. Jeser Amarante Faria, de Joinville. A redação de AN entrou em contato com a assessoria do hospital na manhã deste domingo (7), mas conforme a instituição, a família da vítima não autorizou o repasse de informações sobre o estado de saúde dele.

Em outra situação, na mais recente tentativa, um homem (não identificado) foi encontrado caído na rua por populares. A ocorrência teve registro da Polícia Militar (PM) por volta das 5h de domingo na Rua Ernesto Bachtold, no Aventureiro. Conforme a guarnição, ele foi atingido por dois disparos de arma de fogo. O Samu prestou atendimento e fez o encaminhamento da vítima ao hospital. Ninguém foi preso.




 

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaJogo entre o líder e o vice-líder da Liga agita o Centreventos nesta sexta-feira https://t.co/pjwhR0PjVX #LeianoANhá 35 minutosRetweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaMárcio Fernandes monta o JEC com cinco mudanças no time https://t.co/qdBnJ4x5Tl #LeianoANhá 6 horas Retweet
A Notícia
Busca