PM utiliza tecnologia como aliada na rotina policial em Joinville - Segurança - A Notícia

Versão mobile

 

 

Policiamento27/12/2017 | 09h24Atualizada em 27/12/2017 | 09h24

PM utiliza tecnologia como aliada na rotina policial em Joinville

Sistema aposentou os bloquinhos de papel e permite que militares registrem ocorrências com fotos em apenas alguns minutos

PM utiliza tecnologia como aliada na rotina policial em Joinville Salmo Duarte/A Notícia
Foto: Salmo Duarte / A Notícia

Há quase dois anos, os policiais militares de Joinville deixaram para trás diversos formulários preenchidos à mão para registrar ocorrências. O PMSC Mobile ofereceu à rotina policial mais modernidade e rapidez, com o acumulado de várias informações a um toque. O aplicativo é interligado a outros sistemas de segurança pública e começou a ser desenvolvido em 2015 por uma equipe de oficiais especializados da corporação.

Antes do sistema, as ocorrências eram registradas em formulários, encaminhadas à seção técnica dos batalhões para serem digitalizadas no sistema. A tecnologia propiciou ao policial autonomia para receber atendimentos, realizar consultas e registrar ocorrências sem precisar retornar à corporação. O uso da ferramenta permitiu que os esforços policiais fossem redirecionados para atender às demandas de policiamento, já que os profissionais que antes registravam as ocorrências foram empenhados em outras funções.

Leia as últimas notícias de Joinville e região em AN.com.br

Os agentes recebem as ocorrências da Central de Emergência por meio de tablets ou smartphones, onde está instalado o aplicativo. Eles conseguem pesquisar a regularidade das placas de veículos, mandados de prisão em aberto e carros com registro de furto/roubo enquanto estão nas ruas. Se antigamente os formulários consumiam tempo na rotina policial, a tecnologia surgiu para simplificar: ao consultar o nome de uma rua (ou pessoa), por exemplo, é possível transmitir o conteúdo diretamente para o preenchimento do formulário.

Assim, o tempo de resposta da polícia às solicitações melhora, aumentando a efetividade das ocorrências atendidas. Dados da Central Regional de Emergência (CRE) de Joinville demonstram que a PM registrou 351 ocorrências pelo sistema na cidade. Os números são de um período de 48 horas, entre os dias 19 e 21 de dezembro. Segundo o capitão Rafael Marcon, comandante da 4ª Companhia do 8º Batalhão de Polícia Militar de Joinville, a ocorrência que os policiais mais atendem é de perturbação do sossego.

— A celeridade é muito maior para registrar a ocorrência. E muito rápido. Para fazer o auto de infração de trânsito é um minuto, antigamente era no bloquinho, à mão — garante Marcon.

Além disso, os aparelhos permitem que os policiais façam fotografias para incorporar nas ocorrências. Todos os dados coletados são encaminhados diretamente ao Sistema Integrado de Segurança Pública (SISP), permitindo a outros órgãos terem acesso às informações. Mesmo que o aplicativo acelere o procedimento, o rádio ainda permanece disponível nas viaturas, mas atualmente é utilizado com frequência bem menor.

Dentro das viaturas, também há uma impressora, permitindo que protocolos e boletins de ocorrência sejam entregues aos envolvidos ao final do atendimento. Todas as viaturas da PM em Joinville possuem a tecnologia embarcada. O sistema também é utilizado por outras modalidades de policiamento, como na bike patrulha e nas rondas ostensivas com apoio de motocicletas (Rocam).

Conforme o capitão, o aplicativo passa constantemente por atualizações e melhorias. O modelo utilizado pela PM de Santa Catarina foi um dos pioneiros no país.

— Nós fomos a primeira polícia no país a ter um aplicativo deste, não tem nada igual. Em outros Estados até usavam o tablet, mas somente para consultar — conclui.

Praticidade no dia a dia

O layout do aplicativo é intuitivo e de fácil operação, permitindo a todos os policiais que operem com tranquilidade. De acordo com o terceiro sargento, Bento Soares da Rocha Neto, a tecnologia simplifica o trabalho da polícia nas ruas. Os ícones, por exemplo, representam as ocorrências que estão em andamento (uma seringa indica situações relacionadas a drogas) e aparecem para as outras viaturas em um mapa com o endereço exato do atendimento.

— Os policiais se adaptaram facilmente ao sistema porque ele é prático. Antigamente, nós tínhamos que colocar tudo manual: nome, CPF, RG. Agora dá para puxar tudo pelo sistema — diz Rocha.

O aplicativo também impede que haja erros de preenchimento na ocorrência. Caso exista alguma inconsistência, o programa não permite a impressão do registro até que ele tenha sido corrigido.

Leia também:
Centrais de emergência de Joinville recebem, em média, 62 trotes por dia

 

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaPainelista do SC Que Dá Certo dá dicas sobre gestão de carreira https://t.co/ND4CFfqzw5 #LeianoANhá 8 horas Retweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaCriança baleada após tentativa de assalto tem alta do hospital em Joinville https://t.co/Um6cnyn3QX #LeianoANhá 9 horas Retweet
A Notícia
Busca