Amigos preparam homenagem a homem encontrado morto em Araquari  - Segurança - A Notícia

Versão mobile

Segurança13/11/2017 | 19h52Atualizada em 13/11/2017 | 19h52

Amigos preparam homenagem a homem encontrado morto em Araquari 

Eduardo Torres, conhecido por ação contra Olimpíadas na passagem da tocha por Joinville, foi morto a facadas

Amigos preparam homenagem a homem encontrado morto em Araquari  Arquivo Pessoal/
Eduardo era natural de Apucarana, no Paraná, e tinha 34 anos Foto: Arquivo Pessoal

Um memorial com flores, declarações, fotos e letras de músicas será criado por amigos de Eduardo Torres, o homem que foi encontrado morto na tarde de domingo em Araquari. Será uma forma de homenagear em Joinville o jovem natural de Apucarana (PR), que foi levado para a cidade natal pelos familiares nesta segunda-feira, onde será velado e enterrado. Eduardo, que ficou conhecido nacionalmente após uma ação de protesto contra as Olimpíadas no Brasil em 2016, foi lembrado pelos amigos pelo engajamento político e social. 

Eduardo estava vivendo em um assentamento do Movimento Sem Terra, localizado às margens da BR-101, na região da Corveta. Foi perto dali, em uma construção, que o corpo foi encontrado por uma criança do acampamento, que avisou os adultos do grupo. A Polícia Militar foi acionada e constatou o óbito, provocado por um corte no pescoço. 

— Acredito que ele estava com o grupo desde a ocupação em Garuva. No local, todos falaram muito bem dele — afirmou o delegado da Polícia Civil de Araquari, Rafael Chiara, que, por enquanto, descarta a possibilidade de o crime ter sido cometido por inimigos declarados. 

Um inquérito foi instaurado para investigar o homicídio, mas a Polícia Civil não divulgará mais detalhes para não atrapalhar as diligências. O corpo foi encaminhado por volta das 16 horas para o IML de Joinville e liberado pelos familiares na manhã desta segunda-feira.

O memorial preparado pelos amigos que não poderão ir ao velório no Paraná ocorrerá em local e data a ser informado apenas para os mais próximos a Eduardo. A estudante Amy Libardi organiza a cerimônia e lembra do rapaz como uma inspiração.

—  Ele tinha várias ideias de revolucionar a sociedade, pregava as ideologias anarquistas, igualdade, liberdade, justiça. Tinha respeito de todos a sua volta e  ajudava todo mundo — afirmou a jovem.

Em julho do ano passado, Eduardo foi detido após tentar apagar a tocha olímpica com um extintor de incêndio quando esta passava pela avenida Beira-rio, quase no fim do trajeto em direção à pira olímpica. Em entrevista ao jornal A Notícia, afirmou que não estava arrependido do protesto, que havia sido planejado e pelo qual iria responder um termo circunstanciado na Justiça. 

—  Eu vejo que esse evento não vai trazer nenhum benefício para a sociedade em geral, especialmente as camadas mais baixas — alegou, defendendo o protesto que havia ganhado repercussão nacional.  

Leia mais:
'Deveriam investir esse dinheiro em outras prioridades', diz homem que tentou apagar a tocha em Joinville

Confira o momento em que Eduardo Torres tentou apagar a tocha olímpica:

 


Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaPM forma turma de mais de 100 soldados em Joinville https://t.co/xCYLIE5lPq #LeianoANhá 5 horas Retweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaQuatro catarinenses estão no mesmo pote do sorteio dos jogos da Copa do Brasil https://t.co/RKjgNpLt1a #LeianoANhá 5 horas Retweet
A Notícia
Busca