Mulher atingida por tiro em Joinville continua em estado grave - Segurança - A Notícia

Versão mobile

Tragédia18/09/2017 | 09h44Atualizada em 18/09/2017 | 13h43

Mulher atingida por tiro em Joinville continua em estado grave

Ela foi atingida pelo marido, João de Souza, que, segundo suspeitas, tentava atirar contra um filho do casal. Instantes depois, atirou contra si e não resistiu; enterro acontece às 16 horas

Mulher atingida por tiro em Joinville continua em estado grave Carolina Wanzuita/A Notícia
A ocorrência foi registrada pela Polícia Militar (PM) por volta das 14h na rua Vulpécula, no bairro Jardim Paraíso, Zona Norte da cidade Foto: Carolina Wanzuita / A Notícia

É grave o estado de saúde de Margarida Domingues Vieira de Souza, de 51 anos, atingida por um tiro durante uma discussão familiar na tarde de domingo, 17, em Joinville. O disparo foi feito pelo marido da vítima, João de Souza, de 54 anos, que, segundo suspeitas da polícia, tentou atirar contra um filho do casal, quando ela se colocou na frente do rapaz e acabou baleada. Instantes depois, o homem atirou contra o próprio peito e morreu após sofrer uma parada cardiorrespiratória.

A ocorrência foi registrada pela Polícia Militar (PM) por volta das 14h na rua Vulpécula, no bairro Jardim Paraíso, Zona Norte da cidade. De acordo com a guarnição, a briga foi motivada por um dos filhos do casal. O rapaz estaria se recuperando do vício em drogas, mas teria sofrido uma recaída no fim de semana.

Confira mais notícias de Joinville e região

Conforme relatos dos vizinhos aos policiais, a discussão começou na manhã de domingo na casa da família, mas João deixou o local. Horas depois, por volta das 14 horas da tarde, ele teria retornado armado e a discussão recomeçou. Os vizinhos contaram que foram ouvidos três disparos dentro da residência. 

Na sequência, Paulo Silva, que é vizinho da família, disse que o filho do casal saiu de casa correndo e o pai foi atrás dele com a arma na mão. Ele conta ainda que falou para o amigo entregar a arma, pois estava de cabeça quente, mas não conseguiu convencê-lo. Após correr mais alguns metros atrás do filho, João parou no meio da rua e atirou contra si.

Margarida foi socorrida e levada para o Hospital Municipal São José, onde passou por cirurgia. De acordo com a Prefeitura de Joinville, depois do procedimento ela foi encaminhada para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e seu quadro de saúde é delicado.

A Delegacia de Homicídios de Joinville informou que vai instaurar um inquérito policial para investigar a motivação do crime.

Velório

O corpo de João de Souza é velado na Igreja Assembleia de Deus do bairro Jardim Paraíso. A reportagem de 'AN' esteve no local do velório na manhã desta segunda-feira, mas familiares não quiseram se manifestar sobre as circunstâncias que envolveram a tragédia familiar.

Um sobrinho de João, que preferiu não se identificar, disse que o casal e os filhos eram unidos e discussões não eram frequentes entre eles. Ele informou ainda que o possível envolvimento de um dos primos com drogas é encarado pela família como boato e o rapaz acompanhava o velório do pai.

Conforme a Central Funerária de Joinville, o enterro está marcado para às 16 horas desta segunda-feira (18) no Cemitério Nossa Senhora de Fátima, no bairro João Costa.

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaContagem regressiva: veja como estão os 10 times do Campeonato Catarinense https://t.co/a9vTFxASaB #LeianoANhá 6 horas Retweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaSC tem o segundo maior percentual de aposentados e pensionistas do Brasil https://t.co/SY4r4HN35k #LeianoANhá 9 horas Retweet
A Notícia
Busca