Professor é suspeito de agredir criança de cinco anos em escola de Araquari - Segurança - A Notícia

Versão mobile

Investigação08/05/2017 | 19h05Atualizada em 08/05/2017 | 19h26

Professor é suspeito de agredir criança de cinco anos em escola de Araquari

Suspeito nega a agressão. Menino está em observação no hospital em estado estável

Professor é suspeito de agredir criança de cinco anos em escola de Araquari Divulgação/Divulgação
Marca no pescoço e vômito levaram o pai a registrar boletim de ocorrência contra o professor Foto: Divulgação / Divulgação

Um menino de cinco anos teria sofrido uma agressão corporal dentro da escola nesta segunda-feira em Araquari. O pai chegou mais cedo à unidade para buscar o filho e o encontrou sentado, cercado por vômito e com marcas no pescoço. Ele registrou um boletim de ocorrência contra o professor por agressão e a Polícia Civil agora vai instaurar inquérito para investigar o caso. O professor nega a acusação e também registrou BO contra o pai da criança alegando ter sofrido ameaça.

Leia as últimas notícias sobre Joinville e região no AN.com.br

Segundo o pai, ele chegou à escola por volta das 13 horas para buscar o filho e o encontrou sozinho na sala de aula em volta de vômito. Em seguida, notou uma marca no pescoço da criança e decidiu questionar o professor substituto - a titular está de licença - sobre o que teria acontecido. Ele teria afirmado ao pai que deixou o menino no local porque ele não ficava quieto. Também negou ter visto as marcas de agressão.

— Quando chegamos em casa, ele me disse que o professor tinha levantado ele pelo pescoço - contou o pai.

Como o menino estava vomitando, pálido e fraco, foi levado até o pronto-atendimento. Na sequência, foi encaminhado ao Hospital Infantil Doutor Jeser Amarante Faria, em Joinville. A criança está em observação no pronto-socorro da unidade em estado estável. O hospital realizará o exame de corpo delito para detectar qualquer lesão no menino.

Por telefone, para a reportagem de 'AN' e produção da RBS TV, o professor nega a agressão e afirma que o menino é hiperativo, agitado e agressivo. De acordo com o professor, ele estava dando aula e colocou o garoto sentado do seu lado porque estava muito agitado. Ele diz que estava do outro lado da sala quando a criança vomitou pela primeira vez e que teria limpado o chão e a roupa dele.

— Como coloquei ele no cantinho, ele não aceitou. Começou a gritar, chorar e acredito que nisso contraiu a musculatura do estômago e vomitou — descreve.

Ainda segundo o professor, a aula teria continuado normalmente até o início da atividade de ciranda, onde os alunos foram levados até a sala de vídeo para ficarem com outra professora. Apenas o menino ficou na sala de aula. A professora teria pedido para o colega ficar com o garoto para que conseguisse fazer a atividade com os demais alunos.

Na volta para a sala, o professor ainda passou na secretaria para entregar um atestado e quando conversava com as diretoras foi abordado pelo pai da criança. Segundo ele, o pai perguntou o que havia acontecido e ele explicou porque havia saído da sala. Poucos minutos depois, o pai teria voltado irritado acusando o professor de estrangular o filho.

O professor também registrou um boletim de ocorrência contra o pai do aluno por ameça de morte e perjúrio. A Secretaria de Educação de Araquari está apurando o caso e vai ouvir as partes envolvidas para tomar as medidas cabíveis.

*O nome do pai e da criança não foram divulgados em cumprimento ao Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). 

A Notícia
Busca