Saavedra: Número de assaltos em Joinville registra queda em 2017  - Política - A Notícia

Versão mobile

Portal 18/10/2017 | 08h04Atualizada em 18/10/2017 | 10h44

Saavedra: Número de assaltos em Joinville registra queda em 2017 

Pelos dados registrados até agosto, com base em boletins de ocorrência, a cidade registrou 1,6 mil roubos no ano, uma redução de 4,5% em relação ao ano passado

Saavedra: Número de assaltos em Joinville registra queda em 2017  /

Atualizadas nesta terça-feira, as estatísticas da Secretaria de Estado da Segurança Pública mostram uma sensível queda no número de assaltos em Joinville em 2017. Pelos dados registrados até agosto, com base em boletins de ocorrência, a cidade registrou 1,6 mil roubos no ano, uma redução de 4,5% em relação ao ano passado. Para o comando da PM, os números precisam cair mais, mas a diminuição neste ano teria as blitze diárias como um dos principais motivos. 

Apesar da redução na comparação com 2016, Joinville registra em 2017 mais do que o dobro de ocorrências em relação ao início da década. Em 2010, a média até agosto era de três assaltos por dia. Neste ano, são mais de seis ocorrências diárias de roubos, o que mostra o avanço da criminalidade. 

A queda nos assaltos em geral não atingiu a modalidade contra motoristas: os roubos de veículos com a presença das vítimas (no caso dos furtos, o motorista não está junto) continuam crescendo, com 543 casos até agosto, 31% a mais na comparação com o ano passado. É um dos tipos de crime com maior avanço em Joinville nos últimos anos. 

Leia as últimas notícias
Confira outras colunas de Saavedra

R$ 205 mil
A Secretaria de Meio Ambiente reduziu as multas aplicadas na Águas de Joinville em cinco notificações de 2015. Ainda assim, as punições chegam a R$ 205 mil, somadas. Os casos foram de poluição hídrica, lançamento de efluentes em desconformidade e descumprimento de condicionantes. A companhia pode recorrer, administrativamente, ao Conselho Municipal de Meio Ambiente.

O rodízio
Está sendo preparado por um vereador um projeto para criar um rodízio nos corredores de ônibus de Joinville: em tais dias, os carros com placas de final 1 e 2 podem circular nas vias exclusivas; e, em  outros dias, os de final 3 e 4, e assim sucessivamente. Mas o vereador interessado na ideia quer ouvir autoridades do setor antes de apresentar a versão final da proposta.

Muito difícil
Ainda sem aval da Antaq para usar os recursos do porto de São Francisco do Sul no acesso ao terminal, o governo do Estado está tentando convencer o DNIT a fazer a obra de alargamento na BR-280, uma conta de R$ 30 milhões. “Mas está difícil”, relata o secretário Murilo Flores, do Planejamento. A escassez de dinheiro é o motivo. Para o Estado, a ampliação daqueles 11 km em Araquari deixaria a 280 até mais atrativa para a concessão à iniciativa privada. Mas até o argumento não tem colado.  A concessão da rodovia federal está prevista desde 2015, com possibilidade remota de ser leiloada em 2018. No máximo, sai a audiência pública. A concessão é para 2019 em diante.

Orientação
A Secretaria de Saúde de Joinville está orientando os enfermeiros da rede municipal a só solicitarem exames ou realizar diagnósticos sob supervisão médica. A medida atende a liminar de alcance nacional obtida pelo Conselho Federal de Medicina na Justiça Federal. A decisão suspendeu parcialmente portaria de 2011 do Ministério da Saúde.

Atribuições
Para o conselho, a portaria teria permitido a “invasão” de atribuições específicas dos médicos definidas na Lei do Ato Médico. A orientação em Joinville será mantida enquanto não houver decisão judicial em contrário. Cabe recurso à liminar concedida no Distrito Federal.

Fora do ar
Uma diretora de centro de educação infantil de Joinville conseguiu liminar para obrigar o Sindicato dos Servidores (Sinsej) a retirar de redes sociais um vídeo com imagens dela. A filmagem ocorreu sem autorização e houve edição. Além disso, a divulgação teria apontado coação contra outra professora, situação negada pela autora da ação.  Será feito pedido de indenização por danos morais.

Em formação
A lista de peemedebistas citada na coluna de ontem ainda está em formação: a presidente Simone Schramm alega que ainda são nomes cotados para o diretório de Joinville, ainda falta o consentimento deles.

Avaliação
Os valores a serem cobrados de aplicativos como o Uber serão mantidos por um tempo como teste para que a Prefeitura de Joinville avalie melhor o impacto sobre os demais modelos de transporte, como táxis e ônibus.

O veto
Udo Döhler ficou surpreso ao saber da derrubada do veto da Prefeitura ao projeto de Tânia Larson (SD) de mudanças na lei sobre animais. A vereadora, integrante da base, articulou e conseguiu os votos para derrubar o veto. O prefeito quis saber ontem dos vereadores do PMDB o que houve, mas não foi informado de muita coisa.

Um espaço
Na reunião de ontem com Udo, os vereadores peemedebistas disseram que gostariam de contar com um deles, Cláudio Aragão, na próxima executiva do PMDB de Joinville, a ser escolhida na convenção de sábado. Udo ouviu, mas não se comprometeu a levar o pedido adiante.

Desacerto
Deu uma pequena confusão na passagem da comitiva de deputados estaduais pela Câmara de Joinville na segunda. O pessoal foi lá para acompanhar a palestra de José Mariano Beltrame, ex-secretário de Segurança do Rio. A comitiva entrou na Câmara sem procurar os vereadores. A coletiva de imprensa no gabinete da presidência foi vetada porque o espaço foi ocupado sem autorização. Em dado momento, a palestra com o ex-secretário até teve risco de não sair.

A Notícia
Busca