Coligação entre PMDB e PSD em SC está ficando cada vez mais distante - Política - A Notícia

Versão mobile

Moacir Pereira21/10/2017 | 02h45Atualizada em 21/10/2017 | 02h45

Coligação entre PMDB e PSD em SC está ficando cada vez mais distante

Aliança do PMDB de Eduardo Pinho Moreira com o PSD de Raimundo Colombo corre riscos 

O PMDB realiza convenções municipais neste fim de semana, com a mobilização de cerca de 20 mil filiados. Na maioria dos 295 municípios a escolha das novas executivas será com chapa única. Esta renovação vai representar um novo termômetro para a definição de candidaturas ao governo, Senado, Câmara dos Deputados e Assembleia Legislativa em 2018.

A hipótese de reedição da tríplice aliança ou de uma coligação do PMDB de Eduardo Pinho Moreira com o PSD de Raimundo Colombo está ficando cada vez mais distante. No lado governista há a posição oficial do presidente Gelson Merisio, que está realizando viagem particular ao exterior nos próximos oito dias, que descarta coligação com o PMDB.

Já líderes do PMDB partem para o confronto contra lideranças do PSD. O deputado federal Celso Maldaner, irmão do ex-governador Casildo Malaner, disparou em entrevista no Oeste contra Gelson Merisio. Em Brasília, foi até mais agressivo e contundente. Apresentou requerimento na CPI da JBS para que fosse convidado para prestar depoimento à Comissão o ex-secretário da Fazenda Antônio Gavazzoni, cunhado de Merisio.

Gavazzoni foi um dos citados entre os supostos beneficiários do esquema de propina e liberação de recursos para campanha de Colombo em Santa Catarina por diretores da JBS. Ele deixou a Secretaria da Fazenda para cuidar pessoalmente de sua defesa nas investigações que correm em Brasília.

A iniciativa de Celso Maldaner pode implodir o pouco que restava de estrutura na ponte entre o PMDB e o PSD em Santa Catarina.

Homenagem e desabafo
A sessão solene da Câmara de Tubarão, em homenagem póstuma ao reitor Luiz Carlos Cancellier, filho da cidade, foi marcada por contundentes críticas às prisões preventivas feitas pelas policias Federal e estadual. O desembargador Lédio Rosa de Andrade enfatizou que o reitor da UFSC foi uma das vítimas de ação justicialista da Polícia Federal e da Justiça Federal. "Cao nunca respondeu a um processo criminal ou desvio de um centavo e foi preso, algemado e humilhado. Isto é fascismo".

Imortais
Encerrado o prazo de inscrições de candidatos a várias cadeiras da Academia Catarinense de Letras, o presidente Salomão Ribas Júnior vai anunciar a data das eleições na próxima semana. Há três candidatos para a cadeira 8, que era ocupada por Mario Pereira; três à cadeira 10, que tinha Júlio Queiroz; quatro à cadeira 16, que era ocupada por Alcides Abreu; três à 14, que tinha Silveira Lenzi como último titular; um à cadeira 21, de Evaldo Pauli; cinco à cadeira 40, que era de Norberto Ungaretti, e um à cadeira 31, ocupada por Walter Piazza.

Acompanhe as publicações de Moacir Pereira

 Deputado Jorginho Mello é o melhor catarinense no Ranking dos Políticos

Justiça pregando desordem

Servidores de Florianópolis realizam assembleia nesta quinta para decidir sobre nova greve


Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaLoetz: Secovi quer mais recursos de bancos para financiamento de imóveis https://t.co/e8H7HzchSr #LeianoANhá 50 segundosRetweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaDeap mobilizará 700 agentes em reforço das cadeias de SC no fim do ano https://t.co/mCV40NwD2V #LeianoANhá 4 horas Retweet
A Notícia
Busca