Detalhes do diálogo repugnante entre Joesley Batista e Ricardo Saud - Política - A Notícia

Versão mobile

Moacir Pereira07/09/2017 | 02h20Atualizada em 07/09/2017 | 02h20

Detalhes do diálogo repugnante entre Joesley Batista e Ricardo Saud

Os interessados na reveladora conversa dos dois bandidos de colarinho branco terão uma clara ideia do mal que faziam ao Brasil e à República

Detalhes do diálogo repugnante entre Joesley Batista e Ricardo Saud Montagem/Agência RBS
Foto: Montagem / Agência RBS

Desnecessário ouvir as quatro horas do diálogo entre o criminoso açougueiro Joesley Batista e o marginal diretor Ricardo Saud sobre as armações delituosas idealizadas e planejadas contra as instituições da República. Os interessados na reveladora conversa dos dois bandidos de colarinho branco terão uma clara ideia do mal que faziam ao Brasil e à República limitando a audiência a um pequeno trecho em que articulam a desmoralização do Judiciário e do Executivo.

Em primeiro lugar, tratam o ex-ministro da Justiça José Eduardo Cardozo (PT) com uma intimidade assustadora. E o transformam num capacho de suas artimanhas políticas, de seus delitos contra a Constituição e a ordem jurídica nacional.

Joesley Batista, para se proteger e ao bando que liderava, fala taxativamente que iria "moer o Judiciário e o Executivo", fazendo um paralelo com Marcelo Odebrecht, que liquidou com o Legislativo.

A dupla de cangaceiros forjou situações que mudaram os rumos da política e da economia do Brasil exclusivamente para conquistar absolvição de seus gravíssimos delitos. Pior: teve sucesso no ardiloso plano, levando o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, e o ministro Luiz Edson Fachin, a homologarem uma delação viciada e criminosa. Ao invés de determinarem na hora a prisão dos delinquentes da JBS, Janot e Fachin deram a eles salvo-condutos vitalícios.

E o que dizer das gravíssimas acusações que pesam sobre o procurador Marcelo Miller, homem de confiança de Janot, negociador da delação e que se bandeou para o escritório de advogados da JBS?

Instituições respeitadas foram contaminadas pela corrupção.

Eleições no Crea
Cinco candidatos estão registrados na eleição para a presidência do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Santa Catarina. Pela primeira vez, três são engenheiros agrônomos: José Carlos Paiva Filho (São Miguel do Oeste), Ari Neuman, apoiado pelo atual presidente Carlos Kita, e Leonel Ferreira Junior, independente. E os engenheiros Celso Leal (Florianópolis) e Julio Fialkoski (Joinville). A comissão eleitoral anuncia nesta quinta as candidaturas homologadas e as indeferidas.

Segurança
"A cada 24 horas um policial militar é morto no Brasil. Valorize quem protege sua vida." Esta é a campanha que está sendo veiculada em todo o Estado pela Aprasc e pela Anaspra. Até agora é a única manifestação de apoio aos policiais executados aqui mesmo em Santa Catarina por criminosos. O presidente Elizandro Lotin também está perplexo com o silêncio das autoridades e a omissão da sociedade.

Curtas

Governo do Estado e Assembleia Legislativa não terão expediente amanhã. Todo mundo liberado. Decretado ponto facultativo. O Judiciário terá atividades normais.

* Ex-senador Pedro Simon confirmou presença em São José na próxima semana. Vai proferir palestra na Univali do Mundo Car na quinta-feira.

Acompanhe as publicações de Moacir Pereira

Região Sul de SC deve crescer ainda mais após a ampliação do porto de Imbituba

O prejuízo de Raimundo Colombo com os novos áudios da JBS

Bombeiros de Joaçaba conquistam prêmio em campeonato internacional de resgate

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaExportações da Whirlpool caem 40% em 5 anos https://t.co/B9x0W7Tv5Y #LeianoANhá 3 horas Retweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaMotorista colide contra viatura da PM na área Central de Joinville https://t.co/VpBrz0U5aa #LeianoANhá 20 horas Retweet
A Notícia
Busca