Saavedra: Em três anos, crimes de receptação dobraram em Joinville - Política - A Notícia

Versão mobile

Portal19/08/2017 | 08h50Atualizada em 19/08/2017 | 08h50

Saavedra: Em três anos, crimes de receptação dobraram em Joinville

Confira essa e outras informações na coluna de Jefferson Saavedra

Em apenas três anos, mais que dobrou o registro de crimes de receptação em Joinville. Foram 170 casos neste ano, até junho, conforme a Secretaria de Estado da Segurança Pública. Em 2014, a Polícia Civil apontou 80 boletins de ocorrência.

Receptação é receber algo com origem ilícita, como produtos de roubos e furtos. Um dos motivos para o aumento de casos em 2017, conforme a Polícia Civil, pode ser a recuperação de veículos em maior quantidade – as blitze da Polícia Militar ajudam nessa tarefa.

Confira outras colunas de Jefferson Saavedra

Na porta do mar

Parque Porta do Mar Foto: Gilmar Hoffmann,Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal

Por enquanto, a via gastronômica do Espinheiros ainda não ganhou a sinalização pretendida por um movimento de empresários, ainda que os restaurantes baseados em frutos do mar continuem como uma das atrações em um dos acessos de Joinville à Babitonga. De identificação do local, continua a Porta do Mar. 

Gostando...
Assim como Udo Döhler, o também empresário Ninfo König está adorando ser paparicado para a eleição de 2018, com citação como pré-candidato. No encontro do PSB com o PSD em Florianópolis, o vereador do PSB apresentou ideias sobre política. Ninfo, assim como Udo, ainda não disse a quem pretende apoiar para o governo do Estado. 

Surpresa
Nesta semana, Ninfo König surpreendeu os colegas na Câmara de Joinville ao, aparentemente irritado, deixar uma sessão antes do final. Ninguém soube os motivos para o vereador se retirar de forma abrupta.

Eventos
Depois de polêmica de feira de varejo em maio, quando os organizadores conseguiram liminar para autorizar o evento após negativa da Secretaria de Meio Ambiente de Joinville por causa de questões envolvendo a acessibilidade, uma portaria municipal sobre o tema está tornando as regras mais duras sobre o licenciamento de feiras e eventos. 

Queixas
Em vigor desde o dia 13 de julho, a portaria da secretaria determina critérios com base em leis federais sobre o tema. Entre as exigências, estão as anotações de responsabilidade técnica (ART) sobre o atendimento do cobrado em lei. Neste momento, está havendo um período de transição em relação aos eventos já contratados. Mas já tem gente se queixando do endurecimento das regras em Joinville.

Na lei

Para a Secretaria de Meio Ambiente de Joinville, a maioria dos espaços onde são realizados eventos na cidade já está dentro dos critérios determinados na lei da acessibilidade. Há planos na pasta de criar normas para que outros dispositivos legais sejam atendidos em Joinville. 

Agora, com multa
Será de R$ 1,3 mil a multa a ser aplicada pela Prefeitura de Joinville em caso de fios sem uso na fiação aérea da cidade. Se tiver cabeamento rompido ou que atrapalhe os pedestres ou os veículos, a multa sobe para R$ 2,7 mil – os valores são pela cotação de agosto da UPM, a unidade de referência.

Todos os cabos
As punições estão previstas no decreto de regulamentação da lei de uso dos postes de iluminação pública. As empresas terão 15 dias para retirar os fios sem uso a partir da notificação. Todo tipo de cabo (energia, telefonia, TVs etc.) está sujeito à fiscalização da Secretaria de Meio Ambiente de Joinville.

De 100 mil...
No último ano antes da crise econômica, a construção civil conseguia uma média mensal de quase 100 mil metros quadrados autorizados pelo setor de licenciamento da Prefeitura de Joinville. Eram as licenças para casas, apartamentos, estabelecimentos comerciais, industriais etc. Essa foi a média do primeiro semestre. 

...para 57 mil
Agora em 2017, a média mensal liberada pelas licenças da Secretaria de Meio Ambiente está em 57 mil m2. A principal queda foi na autorização para edifícios os residenciais. Apesar do mercado ainda longe dos bons tempos, há uma confiança no setor de que logo estarão faltando apartamentos à venda, afinal, os estoques estariam reduzidos neste momento e são necessários dois anos, em média, para erguer um prédio.

Uma fecha
Em outubro, a Delegacia Regional de Polícia de Joinville deverá fechar a delegacia do Morro do Meio e transferir a central de boletins de ocorrência para a Central de Polícia, no Boa Vista. A baixa demanda no bairro da zona Oeste é a alegação para a extinção da delegacia. A mudança na central é para desafogar a Delegacia da Mulher. O passo seguinte será a recriação da Delegacia de Trânsito. 

Resistência
Nessa polêmica do caixa do porto de São Francisco, não está bem claro se a oposição à transferência dos recursos para o Estado é também uma resistência ao novo modelo de gestão proposto pelo governo Colombo, em análise na Assembleia. Pelo jeito, o modelo de sociedade de propósito específico não é bem-vindo para um pessoal ainda em silêncio.

Judiciário
A juíza Karen Schubert Reimer assumiu a direção do Fórum de Joinville.

Ainda
Não faltaram esforços, mas Fernando Krelling ainda não conseguiu emplacar alguém no primeiro escalão do governo Udo – Bráulio Barbosa continua como interino na Secretaria de Desenvolvimento Rural. Krelling chegou a fazer indicação para o cargo.

Cemitérios
O Ministério Público abriu inquérito para apurar como anda o licenciamento ambiental de cemitérios sob responsabilidade de igrejas. Tem também setores privados de cemitérios.

Na mesma
Até o futuro do Ginásio Ivan Rodrigues deve ter uma definição e nada de ser encontrada uma saída para os prédios da Conselheiro Mafra e do CEI Padre Carlos.

A Notícia
Busca