"O essencial na vida é cuidar da família e dos amigos", diz  Victor Fontana ao completar 101 anos - Política - A Notícia

Versão mobile

Moacir Pereira15/07/2017 | 02h30Atualizada em 15/07/2017 | 02h30

"O essencial na vida é cuidar da família e dos amigos", diz  Victor Fontana ao completar 101 anos

Homem revolucionou  o agronegócio, hoje um dos dínamos da economia catarinense, estará completando 101 anos

"O essencial na vida é cuidar da família e dos amigos", diz  Victor Fontana ao completar 101 anos Léo Cardoso/Agencia RBS
Foto: Léo Cardoso / Agencia RBS

O agronegócio, a vida pública estadual e as instituições ligadas à agricultura de Santa Catarina têm um motivo especial para comemorações neste domingo, 16 de julho. Victor Fontana, o engenheiro químico que revolucionou a criação de aves e suínos, introduziu novas tecnologias e aprimorou o sistema de integrados, impulsionando o agronegócio, hoje um dos dínamos da economia catarinense, estará completando 101 anos neste 16 de julho.

Deputado federal com destacada e corajosa atuação no Congresso Nacional em defesa da agricultura, constituinte transformado em advogado do setor produtivo, exerceu o cargo de vice-governador e presidiu a Celesc e o Besc. Seu currículo profissional é um rico colar de atividades em empresas catarinenses, órgãos públicos e, sobretudo, na fundação e presidência de associações e sindicatos ligados à agricultura.

Há 30 anos casado com Lia Carmen Garcia, Victor Fontana vai diariamente ao escritório e tem projetos para o futuro. Acompanha o noticiário e neste momento lê a biografia de Einstein. Com uma lucidez admirável e memória privilegiada, transmite aos interlocutores trechos integrais de D. Quixote, do escritor espanhol Miguel de Cervantes. Um dos preferidos é a carta a Dulcinéia que  D. Quixote escreveu na Serra da Morena, riquíssima peça literária de difícil evocação. 

"O Brasil vai sair melhor desta crise", diz Victor Fontana

Ex-vice-governador Victor Fontana é homenageado pela Fiesc

Confira a entrevista:

O senhor acompanha esta crise política no Brasil?
Todos os dias. Ouço todos os noticiários que trazem estas informações. Acompanho tudo o que acontece no Brasil. E cada dia fico mais triste.

 E como senhor reage?
Com tristeza. Nunca imaginei viver uma época como essa. Quando começou a mudança, tive dúvidas sobre a continuação do governo. Como levar adiante uma ação dessas com gente de tão má qualidade. Hoje, você não sabe a quem entregar o governo do Brasil.

Alguma explicação para este vazio de lideranças?
A culpa é da elite. A elite brasileira falhou e falhou feio. Não avaliou as consequências de suas decisões e deixou os brasileiros a ver navios.

Com mais de 100 anos, o que o senhor considera essencial na vida?
O essencial na vida é trabalhar. É sempre estar cuidando do que se passa a seu redor. E nunca se esquecer que as pessoas devem ser tratadas sempre como seres humanos. Cuidar sempre e muito bem da família e dos amigos. Quem me sustenta são os meus amigos, aqueles que vem conversar comigo, trocar ideias. Família, amigos e trabalho seguram tudo na vida da gente. 

O que é preciso para tirar o Brasil da crise?
Educação, educação, educação. O que faltou e continua faltando no Brasil é investimento e mais cuidado de todos com a educação. Valorizar o estudo, o mérito, a qualificação. É preciso ensinar e mostrar onde está a verdade.

O senhor é realista ou pessimista com o futuro do Brasil?
Eu não perdi as esperanças. Mas confesso que, quando certas decisões não são tomadas e quando as obras não se realizam, eu fico desanimado. 

Por exemplo?
A ligação do Oeste com o Litoral: a rodoviária e a ferroviária. As estradas estão péssimas e a ferrovia não tem nem projeto. O Oeste é o celeiro da economia. Hoje, as estradas brasileiras estão piores do que as de 1930, que eu conheci muito bem.

Acompanhe as publicações de Moacir Pereira

Parque Zoobotânico terá gavetas de recarga para celulares

Três empreiteiras rescindiram o contrato de construção do Contorno da BR-101 

 
 
A Notícia
Busca
clicRBS
Nova busca - outros