Evasão escolar é desafio na educação em Joinville - Política - A Notícia

Versão mobile

AN Portal17/07/2017 | 09h29

Evasão escolar é desafio na educação em Joinville

Pela faixa etária, número de alunos deveria ser maior na cidade

Uma das maiores preocupações na área de educação na ADR de Joinville é com a evasão no ensino médio, com um número crescente de jovens deixando para cursar o ensino médio mais tarde, quando podem fazer o supletivo, em período mais curto do que os três anos tradicionais. "Esse é um dos motivos das vagas em aberto na rede estadual", diz a secretária Simone Schramm. A tentativa de ingresso precoce no mercado do trabalho também está entre as alegações para o número de matrículas abaixo do esperado na faixa etária.

Leia as últimas notícias

Confira outras colunas de Jefferson Saavedra

Há também necessidade de redistribuição da rede escolar para bairros com maior demanda: além da entrega das novas escolas de ensino médio no Parque Guarani e no Vila Nova, em 2017, estão previstas construções de mais colégios no Aventureiro e no Espinheiros. Pelo último censo escolar, divulgado no início do ano, a rede estadual tinha 15,5 mil estudantes matriculados no ensino médio no ano passado. Na rede privada, o último dado disponível no Inep, de 2015, aponta 4,4 mil alunos. Assim, são em torno de 20 mil alunos em Joinville no ensino médio, enquanto a faixa etária entre 15 e 17 anos aponta perto de 30 mil pessoas, em estimativa. E entre os matriculados, há alunos com 18 anos ou mais.

Mais acessível

A Justiça está dando prazo para a Polícia Civil comprovar o cumprimento de liminar do ano passado com determinações de melhorias na acessibilidade do prédio-sede da Delegacia Regional de Joinville, na rua Blumenau e onde também é feito o atendimento do Ciretran. A ação de 2015 é do Ministério Público. Como anda atrás de recursos, a Polícia Civil deve pedir mais tempo.

Emergência

Em Araquari, foi decretado estado de emergência para a compra de materiais médicos para os postos de saúde e o pronto-atendimento da cidade. Com a medida, há dispensa de licitação  – o decreto faz a ressalva de que as compras terão de ser feitas com base em orçamentos de várias empresas. O motivo alegado foi necessidade emergencial.

Ernestão vive

Com o gramado recuperado e em boas condições, o Ernestão está recebendo, além das categorias de base do Caxias e partidas do Copão Kurt Meinert, jogos do pessoal que resolve alugar o campo, encurtado na largura, mas dentro do parâmetro oficial. Tem tido um bom movimento. O próximo investimento do clube será a recuperação da cobertura

Ar nos canos

Rodrigo Fachini (PMDB) está lembrando de lei de Joinville de 2001 e quer a instalação nos hidrômetros de válvulas para eliminar o eventual ar que entraria com água. A legislação foi adotada por causa suspeita de “cobrança do ar”. Só que a lei jamais foi regulamentada e, assim, não pode ser exigida. A Águas de Joinville já se manifestou negando a possibilidade de conta maior por causa do ar.

Condomínios em Barra Velha

Em Barra Velha, a construção dos condomínios fechados horizontais ganhou uma lei específica, em vigor há uma semana. Os lotes precisam ter 300 m2, no mínino, sendo 360 m2 nas esquinas. Cada uma das moradias precisa contar com vagas de estacionamento e pelo menos 20% do terreno deve ser deixado para o uso comum. A legislação deve incentivar a construção dos condomínios na cidade litorânea.

Não aceitou

O custo da reforma fez a Ajorpeme desistir da proposta de permuta de prédios com a ADR de Joinville. Assim, a associação empresarial não vai mais ocupar a ala antiga do colégio Germano Timm, desativada em 2006 e sem uso desde então.  A Udesc desistiu de instalar o curso de dança na escola devido à falta de dinheiro.
 

Avaliação

Em depoimento nas redes sociais, Marco Tebaldi considerou a condenação de Lula como “histórica”, embora tenha achado a decisão do juiz Sergio Moro até comedida, pois esperava pena maior. O que pode ocorrer, segundo o deputado, em outros processos e instâncias. “Viva Moro, viva a Justiça e viva a esperança de termos um Brasil melhor”, comemorou.


Movimentação

Na mesma semana em que foi anunciada a inclusão dos contornos ferroviários de Joinville e São Francisco do Sul no próximo orçamento da União (embora ainda não se saiba o valor disponível a partir de 2018), o DNIT abriu licitação para contratar a empresa que fará o transporte dos materiais a serem usados nas duas obras. Já a concorrência para a retomada das obras é para ser reaberta no ano que vem.

Na Zona Sul

No momento, os novo projetos dos dois contornos estão em fase final de revisão. Em Joinville, o ramal será retirado da área urbana, sem passagem pela zona Sul, como na rua São Paulo (na foto, a passagem do trem na manhã de ontem). As obras pararam em 2011 por causa de erros no projeto, que não previram solos moles em determinados trechos. Dando tudo certo, vão ser retomadas no segundo semestre do ano que vem.


Sem indenização
A Justiça não aceitou pedido de indenização feito por Natanael Jordão (PSDB) contra autora de críticas a ele em rede social, em comentário feito em postagem de terceiro.

Santos Dumont
Nesta terça, o Clube 31 de Julho pode tomar, em assembleia, uma decisão, referente à área da entidade a ser desapropriada para a duplicação da Santos Dumont, em Joinville.

Se o prefeito não fala...
No governo Udo, além do prefeito, ninguém está se manifestando sobre 2018. Nem para citar prováveis pré-candidatos do PMDB ao governo do Estado. 

Os cargos

A intenção inicial era cortar já agora o número de cargos comissionados no porto de São Francisco do Sul, ainda que o projeto de mudança de gestão enviado à Assembleia não cite os números. Mas a Casa Civil queria a eliminação dos 14 postos, com a SC Par mais adiante decidindo se recriaria algum.


Seis meses

Mas provalvelmente para não melindrar quem faz as indicações para os postos, os 14 cargos serão mantidos por seis meses, no mínimo. Depois, o plano é fazer com que a SCPar, a futura administradora, mantenha um terço disso. É curioso: se não dá para cortar agora, por que será possível em seis meses? O projeto do porto será votado em agosto.


Fila da catarata

Na fila de quase 1,9 mil pessoas em Joinville à espera de cirurgia de catarata pelo SUS, 1.560 se cadastraram na rede pública em 2017. Há três pacientes de 2014, provavelmente com dificuldades de localização ou impossibilidade de realização do procedimento. Depois deles, a fila reinicia em fevereiro de 2016. Uma curiosidade na fila da catarata: tem mais gente esperando a cirurgia no olho esquerdo do que no direito.


 

A NOTÍCIA

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaHomem é detido após roubo e tentativa de estupro em Joinville https://t.co/pp58RfG5Jv #LeianoANhá 3 horas Retweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaIlha em SC está à venda por R$ 5,5 milhões https://t.co/AioY9C9zRf #LeianoANhá 4 horas Retweet
A Notícia
Busca