Crítica a Moro, delação como prêmio e candidatura confirmada: o que disse Lula em pronunciamento - Política - A Notícia

Versão mobile

Após condenação13/07/2017 | 13h36Atualizada em 13/07/2017 | 19h12

Crítica a Moro, delação como prêmio e candidatura confirmada: o que disse Lula em pronunciamento

Ex-presidente falou na sede do Partido dos Trabalhadores, em São Paulo

Zero Hora
Zero Hora

Em seu primeiro pronunciamento após ser condenado na Lava-Jato, o ex-presidente Lula criticou a sentença do juiz federal Sergio Moro e afirmou que "a Justiça não pode mentir". Rodeado por senadores, deputados e líderes de movimentos sociais, o petista reiterou que a decisão do magistrado não se baseou em provas. 

— O Moro tem que prestar contas para a história, como eu devo. A história é que vai dizer quem está certo e quem está errado — afirmou Lula na sede nacional do Partido dos Trabalhadores, em São Paulo. — A Justiça não pode mentir. Ela tem que tomar decisão baseada nos autos.

Criticando a Justiça, a força-tarefa da Lava-Jato e a imprensa, o ex-presidente afirmou que a decisão de Moro tem "componente político muito forte", já que Lula é pré-candidato ao Planalto em 2018.

— Quem acha que é o fim do Lula, vai quebrar a cara. Porque somente, na política, quem tem o direito de decretar o meu fim, é o povo brasileiro — disse. — Quero dizer ao meu partido que a partir de agora eu vou reivindicar do PT o direito de me colocar como postulante à candidatura a presidente da República — falou, antes de ser interrompido com gritos da militância de "Brasil, urgente, Lula presidente".

Leia mais
"Quem acha que é o fim do Lula, vai quebrar a cara", diz ex-presidente
O significado histórico da decisão de Moro que condenou Lula
Veja tudo o que você precisa saber sobre a condenação de Lula

Foto: Miguel SCHINCARIOL / AFP

Lula repetiu os argumentos do advogado de defesa, Cristiano Zanin, e afirmou que Moro utilizou apenas cinco parágrafos da defesa do ex-presidente para justificar a decisão. O petista ainda afirmou que a sentença do juiz federal se baseou na delação do ex-presidente da OAS, Léo Pinheiro. Segundo Lula, o empreiteiro "mudou de opinião de um dia para o outro" por orientação do advogado.

— Delatar é um prêmio para você conviver com a riqueza que você roubou — disse, citando reportagem da TV Globo. — O cara está preso, ele fala: pô, eu estou condenado a 23 anos de cadeia, tem mais uns três processos contra mim, e o que eu tenho que falar é apenas dizer que o Lula sabia. O Lula não faz parte da família dele, o Lula não é filho, não é genro, não é nada dele, porque eu vou pegar tanto tempo de cadeia por causa do Lula?

Lula afirmou que a sua defesa vai recorrer da sentença e poderá questionar a decisão no Conselho Nacional de Justiça (CNJ). 

— A única prova que existe nesse processo é a prova da minha inocência. Queria fazer um apelo à imprensa e ao povo brasileiro: se alguém tiver uma prova contra mim, por favor, diga! Mande para a Justiça, para a Suprema Corte, para a imprensa. Eu ficaria mais feliz se eu fosse condenado com base numa prova — disse. — Não é o Lula que pretendem condenar, é um projeto político que represento junto com milhões de brasileiros. Na tentativa de destruir uma corrente de pensamento, estão destruindo os fundamentos da democracia no nosso país.

Leia mais notícias notícias de Política

 
 
A Notícia
Busca
clicRBS
Nova busca - outros