Voto de Júlio Garcia salvou contas de Colombo - Política - A Notícia

Versão mobile

Moacir Pereira02/06/2017 | 06h00Atualizada em 02/06/2017 | 06h00

Voto de Júlio Garcia salvou contas de Colombo

O conselheiro suspendeu as férias para poder participar do julgamento. Se continuasse em férias, previa-se que a tendência da auditoria interina seria votar contra 

Voto de Júlio Garcia salvou contas de Colombo Neiva Daltrozo/Divulgação
Foto: Neiva Daltrozo / Divulgação

A decisão do conselheiro Júlio Garcia de suspender as férias para participar do julgamento do Tribunal de Contas do Estado salvou as contas do governo Raimundo Colombo de 2016.  O resultado foi de três votos a favor (Wilson Wand-Dall, Cesar Fontes e Júlio Garcia) e dois contrários - do relator, Luiz Roberto Herbst, e de Herneus de Naddal). Júlio Garcia estava sendo substituído interinamente pela auditora Sabrina Nunes Iocken. Se continuasse em férias, previa-se que a tendência da auditora seria o de acompanhar o voto do relator. Neste caso, as contas seriam rejeitadas por 3 votos a 2. O presidente Luiz Eduardo Cherem só vota em caso de empate, impossível de acontecer naquela sessão, dada a ausência do conselheiro Adircélio de Moraes Ferreira. Ele está dedicado a doutorado na UFSC e, quando foi relator, rejeitou a inclusão dos inativos nos 25% da educação.

A sessão durou cinco horas e foi marcada por momentos de tensão e de reconciliação. No final, depois do longo relatório com críticas fortes e contundentes manifestações sobre descumprimento de vários dispositivos legais, o conselheiro Luiz Roberto Herbst fez um discurso diplomático e amistoso, pedindo a retirada da ata dos debates mais acalorados.

A votação apertada foi entendida como recado do PMDB ao governador Colombo, em baixa pelas delações da Odebrecht e da JBS. Os dois conselheiros que votaram pela rejeição foram deputados do PMDB, enquanto os três favoráveis à aprovação tem origens no PFL e no PP.

O relatório deverá ser entregue nesta sexta à Assembleia Legislativa. Por seu conteúdo, deverá provocar mais polêmica na Comissão de Finanças, onde inicia a tramitação e, principalmente, no plenário.

Acompanhe as publicações de Moacir Pereira

Leia também: 

Entenda a polêmica envolvendo contas do governo Colombo 

Upiara Boschi: Colombo tem contas de 2016 aprovadas, mas agora tem oposição no TCE

TCE-SC aprova as contas do governo Colombo referentes a 2016


contentFrom:cms -->
 
 
A Notícia
Busca
clicRBS
Nova busca - outros