Em meio a lama da Lava-Jato, renovação para eleição de 2018 segue distante - Política - A Notícia

Versão mobile

Moacir Pereira20/06/2017 | 02h20Atualizada em 20/06/2017 | 02h20

Em meio a lama da Lava-Jato, renovação para eleição de 2018 segue distante

O Brasil corre o risco de repetir a operação Mãos Limpas, na Itália. As punições não aconteceram e a renovação política virou um pesadelo.

Em meio a lama da Lava-Jato, renovação para eleição de 2018 segue distante DIDA SAMPAIO/ESTADÃO CONTEÚDO
Foto: DIDA SAMPAIO / ESTADÃO CONTEÚDO

Empresário Joesley Batista declarou que o "presidente Michel Temer é o chefe de uma organização criminosa". O presidente da República deu o troco enfatizando que o Batista é "notório bandido".

Confrontando-se num nível retórico jamais visto entre lideranças nacionais, Batista e Temer deixam a cidadania atordoada, perplexa, sem identificar algum caminho que tire o Brasil deste lamaçal de corrupção.

Bandido ou criminoso, o fato é que os dois acusadores viviam há até bem pouco tempo numa relação amistosa e promíscua que resultou em prejuízos bilionários à nação. Beneficiaram-se direta e indiretamente das falcatruas que agora denunciam a todo o Brasil.

Introduzido no triste tiroteio político, o deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB) escreve uma carta da prisão e dispara contra Joesley Batista, classificando-o de "delinquente", "perigoso marginal" etc.

Eles se merecem! E o dia seguinte? E a eleição de 2018?

Ao diagnóstico sobre a assustadora roubalheira que tomou conta do país, envolvendo PT, PMDB, PSDB, PP e os aliados mais próximos, não se ouve nenhuma voz propondo medidas para combater o que aí está. Não há uma só iniciativa visando novas regras para substituir este sistema político eleitoral falido.

O noticiário da Lava-Jato já começa a cansar. O Brasil corre, assim, o risco de repetir a operação Mãos Limpas, na Itália. As punições não aconteceram e a renovação política virou um pesadelo.

Patrulhas
Com R$ 1,6 milhão de emenda do deputado Esperidião Amin (PP), a Secretaria da Agricultura adquiriu tratores para Patrulha Agrícola, beneficiando 22 municípios catarinenses. O ato de entrega na Secretaria da Agricultura teve a presença do secretário Moacir Sopelsa, do autor da emenda e secretários municipais.

Celos
Fundação Celesc de Seguridade Social teve um reforço de caixa neste mês de junho com a restituição de R$ 11 milhões relativos à cobrança previdenciária indevida. A diretoria da Celos contratou a empresa AG Capital, de Florianópolis, que questionou na Justiça a cobrança contribuições por prestação de serviços, obtendo êxito. A Celos conquistou com a ação um completo dossiê técnico para novas consultas em auditorias internas.

Justiça
Nova direção do Tribunal Regional Federal de Porto Alegre, com jurisdição em Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul, vai assumir na próxima sexta-feira. Assumirá a presidência o desembargador Carlos Eduardo Thompson Flores Lenz, tendo a desembargadora Maria de Fátima Labarrére de vice. O desembargador catarinense Ricardo Teixeira do Valle Pereira tomará posse como novo corregedor-geral.

Eletropaulo
Santa Catarina conta hoje com três representantes no Conselho de Administração da Eletropaulo: Marcelo Gasparino da Silva e Wilfredo Gomes, como titulares; e agora o professor Andriei José Beber, como suplente.  Professor da Fundação Getúlio Vargas, Beber integra o grupo de conselheiros certificados pelo Instituto Brasileiro de Governança Corporativa. Também foi eleito conselheiro da Tecnisa, uma das maiores do mercado imobiliário do país. Ele é filho do senador Dalírio Beber.

Acompanhe as publicações de Moacir Pereira

"Também estou estarrecido com as denúncias", diz Mauro Mariani sobre entrevista de Joesley Batista

Divididos sobre a permanência ou não no governo Temer, os tucanos subiram no muro

"Temos que aprovar as reformas, não apoiar retrocessos", diz Paulo Bauer

 
 
A Notícia
Busca
clicRBS
Nova busca - outros