Ato-show em São Paulo pede eleições diretas - Política - A Notícia

Versão mobile

SP pelas Diretas Já04/06/2017 | 17h51Atualizada em 05/06/2017 | 12h18

Ato-show em São Paulo pede eleições diretas

Texto da organização do evento argumenta que, por parlamentares estarem envolvidos em denúncias, Congresso "não tem condições morais de determinar como será o futuro do país"

Ato-show em São Paulo pede eleições diretas Paulo Pinto/AGPT
Foto: Paulo Pinto / AGPT
Agência Brasil
Agência Brasil

Artistas, produtores culturais e ativistas promovem neste domingo (4) ato político com show no Largo da Batata, na zona oeste da capital paulista, para pedir a saída do presidente Michel Temer e a convocação de eleições diretas.

O evento "SP pelas Diretas Já" teve início por volta das 11h com show do cantor Chico César. Por volta das 16h30min, o número de participantes ainda não havia sido estimado pelos organizadores. Já se apresentaram o rapper Emicida, o sambista Péricles, os cantores Maria Gadú, Tulipa Ruiz, Otto, Edgard Scandurra, Pitty, entre outros.

Leia mais
Em carta, diplomatas do Itamaraty defendem eleição no Brasil
CCJ do Senado aprova eleições diretas se Presidência vagar até um ano antes do fim do mandato
Com participação de artistas, manifestação no Rio pede Fora Temer e Diretas Já

Blocos de carnaval de São Paulo também participaram do ato. "Entendemos que esse Congresso Nacional que está aí, com centenas de parlamentares envolvidos em denúncias e escândalos, não tem condições morais de determinar como será o futuro do país", diz o texto da convocatória do evento assinado pelos organizadores.

O coordenador do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), Guilherme Boulos, discursou durante o evento e destacou a importância de eleições diretas para presidência como forma de impedir que sejam aprovadas as reformas da Previdência e trabalhista.

— Se tiver eleições indiretas, há alguma dúvida de que eles vão continuar com esse programa de reformas? Eles vão continuar — declarou.

Foto: Paulo Pinto / AGPT

Além de cantores e outros artistas, também discursaram integrantes de movimentos populares, como União Nacional dos Estudantes (UNE), Levante Popular da Juventude, Central Única dos Trabalhadores (CUT), entre outros.

Procurada pela Agência Brasil, a assessoria de imprensa do Palácio do Planalto informou que não iria se posicionar.

Leia as últimas notícias

*Agência Brasil

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaProcon Joinville orienta sobre cuidados com as compras na Black Friday https://t.co/BpoNefT9S5 #LeianoANhá 4 horas Retweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaDiretoria do JEC se posiciona e diz não haver necessidade de "comissão de transição" https://t.co/tkTAzPqKmZ #LeianoANhá 5 horas Retweet
A Notícia
Busca