Arrecadação de maio em SC foi apenas 1,81% maior do que o mesmo mês em 2016 - Política - A Notícia

Versão mobile

Moacir Pereira03/06/2017 | 07h00Atualizada em 03/06/2017 | 07h00

Arrecadação de maio em SC foi apenas 1,81% maior do que o mesmo mês em 2016

O secretário adjunto da Fazenda, Renato Lacerda, apontou que os setores com maiores quedas da receita foram energia, combustíveis e bebidas

Arrecadação de maio em SC foi apenas 1,81% maior do que o mesmo mês em 2016 Marcello Casal Jr.,ABR/Agência Brasil
Foto: Marcello Casal Jr.,ABR / Agência Brasil

Má notícia para o Tesouro estadual. A arrecadação de maio foi apenas 1,81% maior no comparativo com o mesmo mês de 2016. Uma das explicações: abril teve apenas 14 dias úteis, em função dos feriadões, reduzindo o comércio e a produção; e também as paralisações que frearam setores econômicos do Estado.

As quedas
O secretário adjunto da Fazenda, Renato Lacerda, esclareceu que os setores com maiores quedas da receita foram energia, combustíveis e bebidas e "não foi pior porque o comércio varejista teve boa atuação". 

No acumulado ao ano, a arrecadação cresceu apenas 5%. Houve, também, segundo o secretário, redução de 12% nos repasses do governo federal.

Corrupção
Fundador da premiada Escola de Direito da Fundação Getúlio Vargas,  o professor e advogado Carlos Ari Sunfelf estará na próxima terça-feira em Florianópolis. Considerado uma das maiores autoridades no país em ética pública, vem ministrar palestra sobre combate à corrupção e Direito Administrativo,  a convite dos professores Pedro Niebuhr e José Sérgio Cristóvam, da UFSC.

Ação criminosa
Depois de percorrer 1,1 mil quilômetros no Oeste catarinense levantando dados, o engenheiro Ricardo Saporiti definiu como "criminosas" as operações tapa-buracos executada nas rodovias estaduais pelas administrações regionais do Estado. Limitam-se a coberturas improvisadas que desaparecem na primeira chuva.

Barragem ameaçada 
Ocupada por índios desde 2015, que impedem o acesso de autoridades, a casa de máquinas da barragem de José Boiteux está parcialmente destruída e totalmente inoperante. Em caso de emergência e se as chuvas voltarem, a situação se agravará no Vale do Itajaí. Inteirado dos riscos, o deputado Jean Kuhlmann (PSD) se reuniu com o secretário da Defesa Civil, Rodrigo Moratelli. Foi informado que, se o rio Itajaí-Açu tivesse passado de nove metros, Blumenau seria gravemente atingida.

Foto: Divulgação / Divulgação

Acompanhe as publicações de Moacir Pereira

"Sem Jornalismo não há Democracia", diz professor Carlos Alberto Di Franco

Dívida pública do governo catarinense passou para R$ 33,77 bilhões em 2016

STJ deve ser acionado para garantia da posse de Alex Santore como desembargador do TJSC

 
 

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaIPTU progressivo volta a ser discutido em Joinville https://t.co/sJ1fC8XEdK #LeianoANhá 22 minutosRetweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaLoetz: Empresa de Jaraguá do Sul planeja investir R$ 400 milhões até 2020 https://t.co/HIVSBAyLX8 #LeianoANhá 1 horaRetweet
A Notícia
Busca
clicRBS
Nova busca - outros