JBS diz ter pago R$ 15 milhões a Temer e que presidente integrava"esquema do PMDB" - Política - A Notícia

Versão mobile

Terremoto no poder19/05/2017 | 14h15Atualizada em 19/05/2017 | 16h44

JBS diz ter pago R$ 15 milhões a Temer e que presidente integrava"esquema do PMDB"

Joesley Batista diz que a orientação para manter calados Eduardo Cunha e Lúcio Funaro partiu do presidente

JBS diz ter pago R$ 15 milhões a Temer e que presidente integrava"esquema do PMDB" Valter Campanato/Agencia Brasil
Foto: Valter Campanato / Agencia Brasil
Guilherme Mazui / RBS Brasília e Fábio Schaffner / Brasília

guilherme.mazui@gruporbs.com.br;fabio.schaffner@zerohora.com.br

No depoimento ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot, Joesley Batista diz que o presidente Michel Temer compunha com o ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) "o esquema do PMDB na Câmara". O empresário cita a conversa com Temer no Palácio do Jaburu, na qual relatou ao presidente que "continua pagando ao (doleiro Lúcio) Funaro R$ 400 mil para garantir o silêncio dele e de Cunha".

Joesley diz que a orientação para manter calados Cunha e Funaro partiu inclusive do próprio Temer. "Sempre recebeu sinais claros que era importante manter financeiramente ambos e as famílias, inicialmente pelo (ex-ministro) Gedel Vieira Lima e depois por Michel Temer para que ficassem 'calmos' e não falassem em colaboração premiada", narra a transcrição do depoimento do empresário.

Leia mais
Temer e Aécio articularam para impedir avanço da Lava-Jato, diz Janot em inquérito
ÁUDIOS: Ouça a íntegra da gravação do diálogo de Temer e dono da JBS
Gravação de Temer é audível e apresenta sequência lógica, avalia MPF

Joesley implica Temer também numa suposta proteção a Cunha no Supremo Tribunal Federal. "Temer disse que poderia ajudar Cunha no Supremo Tribunal Federal com dois (ministros), mas que com 11 (a totalidade dos ministros da Corte) seria complicado".

Um pouco antes, Joesley já havia revelado ao presidente que enviou R$ 5 milhões a Cunha. O valor seria referente a um "saldo de propina" pela tramitação de uma lei de desoneração tributária ao setor de frango.

Em outro depoimento, o executivo da JBS, Ricardo Saud, disse ter feito pagamentos de vantagem indevida a Temer em 2014 em valores próximos a R$ 15 milhões em retribuição à atuação favorável do então vice-presidente aos interesses do grupo empresarial. 

Leia as últimas notícias sobre a delação da JBS


Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaJovem de 19 anos está desaparecido em Itapoá https://t.co/7h7mpkqtTG #LeianoANhá 2 horas Retweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaMédico de Canoinhas atende aos pacientes fantasiado de Papai Noel https://t.co/f6k67nGWuM #LeianoANhá 2 horas Retweet
A Notícia
Busca