Defesa de Aécio recorre ao STF para retomar mandato - Política - A Notícia

Versão mobile

Após delação da JBS23/05/2017 | 15h39Atualizada em 23/05/2017 | 15h39

Defesa de Aécio recorre ao STF para retomar mandato

Ministro Edson Fachin decidiu afastar senador das funções parlamentares após Aécio ter sido gravado em uma conversa com o empresário Joesley Batista

Defesa de Aécio recorre ao STF para retomar mandato José Cruz/Agência Brasil
Foto: José Cruz / Agência Brasil
Agência Brasil
Agência Brasil

A defesa do senador Aécio Neves (PSDB-MG) recorreu hoje (23) ao Supremo Tribunal Federal (STF) para revogar a decisão que afastou o parlamentar do cargo. Na semana passada, ao atender a um pedido cautelar da Procuradoria-Geral da República (PGR), o ministro Edson Fachin decidiu afastar Aécio das funções parlamentares após o senador ter sido gravado em uma conversa com o empresário Joesley Batista.

No recuso, além de pedir que Aécio Neves retome o mandato, os advogados sustentam que a investigação não deve permanecer com Edson Fachin e que a decisão do ministro não poderia ser tomada individualmente, mas pela Segunda Turma do STF.

Leia mais
Em artigo a site, Janot diz que delação é "muito maior" que áudios
Relações tóxicas de Temer: assessores e ministros estão sob cerco da Lava-Jato
OAB leva pedido de impeachment de Temer à Câmara na quinta-feira

"Com todo o respeito, num cenário tal é absolutamente temerário aplicar a um senador da República medida dessa gravidade e violência, que lhe retira do cargo para o qual — insista-se — foi eleito pelo povo, especialmente porque, rememoremos, não há expressa autorização legal e constitucional para medida dessa natureza que, ao fim e ao cabo, revolve princípios básicos de separação de poderes", diz a defesa.

De acordo com as investigações, baseadas nas delações dos irmãos Joesley e Wesley Batista, donos da JBS, Aécio recebeu R$ 2 milhões em propina. Na semana passada, após Aécio Neves ser afastado do cargo pelo ministro, a assessoria do parlamentar afirmou que ele está absolutamente tranquilo quanto à correção de todos os seus atos. 

"No que se refere à relação com o senhor Joesley Batista, ela era estritamente pessoal, sem qualquer envolvimento com o setor público". 

A defesa do senador informou que sua intenção era vender a Joesley um imóvel para pagar a dívida.

Leia as últimas notícias sobre a delação da JBS

*Agência Brasil

 
 

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaPolícia prende suspeito de mandar matar comerciante em Joinville https://t.co/Zzb8YZglBV #LeianoANhá 1 horaRetweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaLoetz: Fatma marca audiência que vai discutir projeto do novo porto de São Francisco do Sul para setembro https://t.co/CCuKFeVasZ #LeianoANhá 1 horaRetweet
A Notícia
Busca
clicRBS
Nova busca - outros