Calheiros defende saída negociada: "Temer vai entender seu papel na história e facilitar uma solução"  - Política - A Notícia

Versão mobile

Entrevista23/05/2017 | 10h47Atualizada em 23/05/2017 | 11h27

Calheiros defende saída negociada: "Temer vai entender seu papel na história e facilitar uma solução" 

Colega de partido de Michel Temer, senador disse que impeachment não resolve a crise política no país porque "leva quase dois anos"

Calheiros defende saída negociada: "Temer vai entender seu papel na história e facilitar uma solução"  Marcelo Camargo/Agência Brasil
Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil
Zero Hora
Zero Hora

O senador Renan Calheiros (PMDB-AL) defendeu, na manhã desta terça-feira, uma "saída negociada" para a crise política que atinge o governo Michel Temer desde que se tornou público o conteúdo da delação premiada da JBS. Em entrevista ao programa Timeline, da Rádio Gaúcha, o parlamentar disse que o presidente deve se dispor para "facilitar o processo da forma que for mais viável".

— A circunstância está difícil, muito difícil, e tende a se agravar. É provável que tenhamos o esvaziamento das reformas daqui para a frente, porque o espectro dessa reforma é realmente estreito. É preciso ter uma agenda consensual, bem mais ampla para o Brasil, para não ficar nesse lero-lero de reformas. Mas não tenho dúvidas de que, no desdobramento dessa crise, o presidente vai compreender o seu papel na história e vai facilitar uma solução. O Brasil não pode ficar indefinidamente nisso.

Leia mais:
Rocha Loures entrega mala com R$ 500 mil na sede da PF, em São Paulo
Janot recorre ao plenário do STF e pede prisão de Aécio e Rocha Loures
Perito contratado por Temer diz que gravação é imprestável como prova

Mesmo após avaliar que Temer não tem condições de se manter à frente do comando do país, Calheiros evitou usar a expressão "renúncia" para defender a saída do presidente. O senador ainda avaliou que um processo de impeachment contra o peemedebista, aos moldes do ocorrido com Dilma Rousseff, não "soluciona" a crise porque leva tempo demais:

— O impeachment não é a saída neste caso porque o impeachment da Dilma demorou quase dois anos. Imagina, nesta crise, nesta dificuldade econômica, neste governo que não consegue entregar os compromissos fundamentais com relação à mudança política e a reformas, você jogar o Brasil em mais.

E acrescentou:

— A crise está se agravando, a OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) apresentou ontem (segunda-feira) o processo de impeachment, mas esse processo não resolve, porque não carrega consigo a solução para a crise. O último processo de afastamento não resolveu nada. Ele atrapalhou bastante. Eu acho, portanto, que o impeachment não seria a solução. A solução seria uma saída negociada. Eu acho que o presidente da República vai compreender o seu papel histórico e colaborar para termos um rápido desfecho.

Calheiros negou que venham ocorrendo conversas com Temer para lhe indicar a renúncia. Porém, na avaliação do senador, esse diálogo poderia ocorrer a qualquer momento. O senador ainda defendeu as eleições gerais em 2018 e a realização de uma assembleia nacional constituinte.

— Eu acho que vamos ter um calendário, daqui para a frente, que a qualquer momento colocará um desfecho. Vemos essa coisa da renúncia, que é unilateral, vai depender de um ato de vontade do presidente; você tem o TSE (Tribunal Superior Eleitoral), que tem um prazo para ser discutido; e você tem também o STF (Supremo Tribunal Federal) — afirmou. — As coisas estão muito difíceis e, mais cedo ou mais tarde, vamos ter um desfecho. Eu acho que, neste desfecho, o que podemos colocar como melhor para o Brasil, na defesa dos seus objetivos mais permanentes, seria eleição geral em 2018 e assembleia nacional constituinte — acrescentou.

O senador disse que "não será por falta de nomes" que o país terá dificuldades para escolher, em curto prazo, um presidente e um vice-presidente da República. Para assumir o comando do Brasil, Calheiros citou nomes como o da presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármen Lúcia, e do ministro do STF Gilmar Mendes.

Ouça a entrevista completa:


Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaRejane: leilão beneficente vai ajudar crianças que precisam ter acesso a cirurgias https://t.co/G8T6s3Aqhz #LeianoANhá 4 minutosRetweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaHomem em surto é morto a tiros no quintal de casa em Joinville https://t.co/3YZzElv34V #LeianoANhá 19 minutosRetweet
A Notícia
Busca
clicRBS
Nova busca - outros