Além do Uber, taxistas de Joinville temem também outros serviços - Política - A Notícia

Versão mobile

Portal25/05/2017 | 07h10Atualizada em 25/05/2017 | 07h10

Além do Uber, taxistas de Joinville temem também outros serviços

Manifestações dos taxistas nesta quarta-feira é o começo de uma série de embates que haverão no setor na Câmara de Vereadores, informa o colunista Jefferson Saavedra

A manifestação desta quarta-feira dos taxistas de Joinville, com buzinaço nas ruas centrais, é também uma preparação para os embates na Câmara de Vereadores sobre os projetos de transportes turístico e executivo, ainda que a concorrência com o Uber continue sendo uma preocupação prioritária. A categoria taxista tem mais restrição ao projeto turístico, a ser discutido pelos vereadores na segunda, ainda em comissões. 

Pelas novas regras, se aprovadas, podem ser usados veículos de passeio, não precisam mais ter dez lugares. E a fiscalização passa a ser do Ministério do Turismo e não mais pela Seinfra. Para os taxistas, há riscos de esse tipo de transporte se transformar em táxi disfarçado porque fiscais federais não atuam em Joinville. Defensores do projeto do transporte turístico de passageiros lembram que o serviço já existe em Joinville, apenas haveria adaptação à lei federal. 

Além disso, a modalidade requer um serviço diferenciado em relação ao táxi – que não deveria ter exclusividade na movimentação de passageiros. Quanto ao transporte executivo, um serviço para empresas, os taxistas querem adaptações, mas aceitam discutir o projeto apresentado pela Prefeitura de Joinville

O Ubernão está regulamentado em Joinville, mas dezenas de motoristas do serviço conseguiram liminares para não serem enquadrados como transporte ilegal. Assim, não podem ser multados. A Prefeitura vai avaliar sobre a possibilidade de recorrer das decisões judiciais. 

Pneu no trilho
No início da noite de terça, pouco depois de se queixar na sessão na Câmara de Joinville das condições dos trilhos na cidade, Claudio Aragão teve um pneu de seu carro arrebentado após cruzar a passagem de nível na rua Monsenhor Gercino. Naquele local, como em outros cruzamentos, a retirada de parte dos trilhos deixou buracos.

Até bloqueio
No início de junho, a concessionária do transporte ferroviário deve se manifestar na Câmara sobre a manutenção dos ramais em Joinville. Os vereadores vão procurar o Ministério Público Federal para cobrar providências e já estão citando a possibilidade de bloqueio da passagem do trem como protesto. 

Sem pressa
A nomeação de Bráulio Barbosa para a Secretaria de Proteção Civil deixou vago o cargo de diretor executivo da Secretaria de Governo. Assim, o governo Udo está sem interlocutor oficial com a Câmara de Vereadores. O que neste momento não é algo tão preocupante para o Executivo, afinal, não há projeto polêmico em pauta e muito menos os vereadores estão interessados em criar caso. Por isso, não há pressa alguma em encontrar um substituto.

Apertado 

Rua Desembargador Nelson Guimarães tem tido dias bem movimentados, com obras Foto: Dirk Henning,Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal

O leitor Dirk Henning manda a foto para mostrar o que chama de ¿conflito¿ de veículos na rua Desembargador Nelson Guimarães, no Atiradores, complicando a vida de pedestres, em situação que virou rotina em Joinville.

Sem liminar
A negativa do Departamento de Trânsito de Joinville, o Detrans, em prorrogar o contrato de serviços de publicidade em placas de ruas e defensas já está motivando disputa judicial. A empresa contratada em 2006 tenta permanecer no serviço até que nova licitação seja concluída, mas na primeira tentativa, a liminar foi negada. Há chance de recurso. 

Novo edital
O contrato inicial previa cinco anos e foi renovado por mais cinco em 2011. A última prorrogação se estende até maio de 2017. Neste momento, a Secretaria de Administração está preparando a nova concorrência para os serviços, ainda sem data para lançamento. Só em defensas, são 224 espaços. Há ainda os semipórticos e os logradouros para uso comercial.

Conta da galeria
A Águas de Joinville vai pagar R$ 787 mil pelos serviços de remanejamento da rede de gás natural na área de obras da instalação da galeria de drenagem do rio Mathias. A SC Gás vai fazer o serviço. Esse trabalho é necessário para a retomada da instalação da galeria na região mais central da cidade. Neste momento, as obras estão em outra ponta, na Otto Boehm.

LOT
O grupo de trabalho formado dentro da Prefeitura de Joinville para correções e adequações na LOT deve enviar projetos à Câmara sobre o tema até o final de junho. Neste momento, estão sendo decididos quais temas são prioridades. Há necessidades de revisões, principalmente em mapas e tabelas.

O maior prédio da Udesc

Novo bloco do campu sda Udesc em Joinville terá sete andares Foto: Laura Bona Moll,Udesc,Divulgação / Divulgação

A Udesc aponta para o segundo semestre a conclusão do novo bloco no campus de Joinville, em investimento de R$ 12,3 milhões. Em ritmo considerado normal, a construção já atingiu quatro dos sete andares projetados. Além de auditório e biblioteca, o prédio – o maior da universidade estadual no Estado – terá 25 salas de aula e quatro laboratórios. 

Diferentes
Há uma diferença entre os projetos prevendo a instalação de fraldários em Joinville. A proposta de Rodrigo Coelho (PSB) trata de espaços a serem usados por crianças. Já a sugestão de Lioilson Correa (PSC) quer fraldários para idosos e pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida. 

Novo elevado
Em visita nesta quarta-feira a Guaramirim, o governador Colombo autoriza o início das obras de elevado na BR-280 junto ao acesso a Massaranduba. Com a duplicação, o trecho da rodovia passou para o Estado. A construção vai custar R$ 41,2 milhões.

Volta da delegacia
A delegada regional Tânia Harada visitou o antigo CEI Padre Carlos e, evidentemente, dado o estado da construção, não ficou muito entusiasmada para instalar ali a Delegacia de Trânsito, a ser reativada. Mas mantém o CEI nos planos, tudo vai depender da possibilidade das reformas. Não há prazo definido para a volta da delegacia especializada. 

Não gostou
Irritado com as declarações de Vicente Caropreso, Udo Döhler alega que alertar sobre a possibilidade de perda dos recursos parece ¿torcer contra¿. Em conversa com Patrício Destro, segundo o relato do deputado, o secretário estadual de Saúde informou que Joinville tem prazo para entregar documentos sobre o PA Sul, sob pena de perder repasse de R$ 2 milhões para a reforma.

Escritura
Udo alega que o PA Sul é uma construção antiga e as exigências são ¿filigranas¿. A assessoria da Prefeitura informa ter entregue no dia 17 a escritura do PA do Itaum. Falta ainda uma outra licença. Udo também não gostou de observações de Caropreso sobre o repasse do Estado ao Hospital São José, de que os R$ 14 milhões autorizados em 2013 ainda não teriam sido usado integralmente. 

Complexo
¿A construção é antiga e as obras, complexas, estão andando¿, diz Udo, recomendando uma visita do secretário ao hospital municipal de Joinville. A assessoria do prefeito alega que a maior parte dos recursos, agora em R$ 15 milhões por causa dos rendimentos, já foi empenhada. Ainda restaria um saldo de R$ 1 milhão para a compra de equipamentos.




Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaDeap mobilizará 700 agentes em reforço das cadeias de SC no fim do ano https://t.co/mCV40NwD2V #LeianoANhá 21 minutosRetweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaProcon Joinville orienta sobre cuidados com as compras na Black Friday https://t.co/BpoNefT9S5 #LeianoANhá 8 horas Retweet
A Notícia
Busca