Jacques Wagner é condenado a pagar R$ 15 mil por nomeação de marido de Ideli a cargo nos EUA - Política - A Notícia

Versão mobile

MULTAdo21/04/2017 | 12h51Atualizada em 21/04/2017 | 12h51

Jacques Wagner é condenado a pagar R$ 15 mil por nomeação de marido de Ideli a cargo nos EUA

Multa foi imposta pelo Tribunal de Contas (TCU) na quarta-feira

Jacques Wagner é condenado a pagar R$ 15 mil por nomeação de marido de Ideli a cargo nos EUA Elza Fiuza/Agência Brasi
Multa foi imposta pelo Tribunal de Contas (TCU) na quarta-feira. Wagner pode recorrer Foto: Elza Fiuza / Agência Brasi
Diário Catarinense
Diário Catarinense

O ex-ministro da Defesa Jacques Wagner (PT) foi condenado pelo Tribunal de Contas da União (TCU) a pagar uma multa de R$ 15 mil pela nomeação do marido da ex-ministra e ex-senadora catarinense Ideli Salvatti (PT) a um cargo em Washington (EUA). A nomeação de Jeferson da Silva Figueiredo ocorreu em setembro de 2015, meses depois de a catarinense assumir um posto na Organização dos Estados Americanos (OEA), também na capital americana. A decisão de multar o político baiano foi tomada pelo plenário da corte na última quarta-feira, informou o portal G1.

Jeferson da Silva Figueiredo é 2º tenente músico do exército e assumiu cargo de ajudante da Subsecretaria de Serviços Administrativos e de Conferências na Junta Interamericana de Defesa por um período de dois anos, a partir do dia 1º de outubro de 2015. Já o posto de Ideli vai até o ano de 2020, pelo menos. 

Na reunião da corte, o ministro relator, André de Carvalho, também pediu a inabilitação de Jaques Wagner para cargos públicos por seis anos, porém os seus colegas, puxados pelo  ministro revisor José Múcio, consideraram a punição desproporcional. 

Ideli e o marido Jeferson moram em Washington (EUA) Foto: Nórton José / Divulgação

Em seu voto, o ministro relator afirmou que a nomeação de Figueiredo ocorreu apenas por interesses particulares. Carvalho afirmou ainda que a transferência foi feita sem a devida consulta do Superior Comando Militar. O relatório do caso aponta que o ato foi "ilegítimo" e "antieconômico". O marido de Ideli recebe um salário mensal de US$ 7,4 mil, aproximadamente R$ 23,3 mil no câmbio atual. 

Ao G1, a assessoria do ex-ministro informou que a decisão de nomear Figueiredo obedeceu parecer da Advocacia Geral da União (AGU) e que a multa era passível de recurso, embora Wagner ainda não tenha decidido se irá recorrer.  Falou ainda que a tese do ministro relator foi derrubada em plenário, apesar da multa. 

A ex-ministra Ideli Salvatti informou que não vai se manifestar sobre o caso. 

 


 
 
A Notícia
Busca
clicRBS
Nova busca - outros