PF cumpre mandados da Lava-Jato autorizados pelo STF - Política - A Notícia

Versão mobile

Alvos ligados a senadores21/03/2017 | 07h46Atualizada em 21/03/2017 | 16h35

PF cumpre mandados da Lava-Jato autorizados pelo STF

Alvos seriam pessoas ligadas aos senadores Renan Calheiros (PMDB-AL), Eunício Oliveira (PMDB-CE) e Valdir Raupp (PMDB-RO)

PF cumpre mandados da Lava-Jato autorizados pelo STF MARLON COSTA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
Policiais federais retornam à sede da corporação em Recife com material apreendido durante ação desta terça-feira Foto: MARLON COSTA / FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
Zero Hora
Zero Hora

A Polícia Federal cumpriu, na manhã desta terça-feira, 14 mandados de busca e apreensão, em um desdobramento da Lava-Jato, autorizados pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Chamada de Operação Satélites, a ação ocorre em endereços nas cidades de Brasília, Maceió, Recife, Rio de Janeiro e Salvador. 

Segundo a PF, o objetivo é investigar indícios dos crimes de corrupção ativa e passiva e lavagem de dinheiro. Não há políticos investigados nesta etapa da operação, mas pessoas vinculadas a eles. Alguns dos alvos têm relações com senadores, como o presidente da Casa, Eunício Oliveira (PMDB-CE), e Renan Calheiros (PMDB-AL), Valdir Raupp (PMPD-RO) e Humberto Costa (PT-PE)

Pela primeira vez, os mandados se baseaaram em informações de delatores da Odebrecht e foram autorizados pelo ministro Luiz Edson Fachin, relator da Lava-Jato no STF, a pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR). Trata-se da sétima fase da Lava-Jato no âmbito do Supremo, que investiga pessoas citadas na operação com foro privilegiado. 

Leia mais:
O que há contra os quatro citados na nova fase da Lava-Jato
Nova fase da Lava-Jato tem base na segunda lista de Janot
Análise da lista de Janot deve começar nesta terça-feira

Um dos mandados envolve a Confederal, empresa de vigilância e transporte de valores no Distrito Federal, que é ligada ao presidente do Senado. Outro alvo é o empresário Mario Barbosa Beltrão, ligado a Humberto Costa.

O material apreendido será enviado para a PF em Brasília. A investigação ligada à ação deflagrada na manhã desta terça está em segredo de Justiça, por isso, não há mais detalhes.

 
 
A Notícia
Busca
clicRBS
Nova busca - outros