PM suspeito de ter vazado dados a quadrilha diz que compartilhou senha com colegas - Política - A Notícia

Versão mobile

AMEAÇA À JUSTIÇA11/11/2016 | 16h57Atualizada em 11/11/2016 | 16h59

PM suspeito de ter vazado dados a quadrilha diz que compartilhou senha com colegas

Policial Militar que teria repassado informações dos possível alvos informou, em depoimento à Polícia Civil, que não participou do caso

O policial militar apontado pela Polícia Civil como um dos elos dos traficantes que planejavam atacar uma juíza, seus familiares e pelo menos 10 agentes da Polícia Civil em Gravataí disse, em depoimento na DP de Encantado que não teve envolvimento no caso e alegou ter compartilhado com colegas sua senha de acesso ao sistema de consultas integradas da segurança pública. Com isso, outros PMs serão investigados pela Polícia Civil.

O PM de 40 anos, sendo 18 trabalhados na Brigada Militar, é suspeito de ter acessado dados sigilosos dos possíveis alvos da quadrilha. Depois de ouvido, foi liberado.

— Desde a chegada de policiais em sua casa, ele negou o fornecimento de informações, entregou computadores, pen drives, e ofereceu informações bancárias e fiscais. Foi o tempo todo colaborativo — disse o comandante regional da Brigada Militar no Vale do Taquari, coronel Gleider Cavalli.

Um mandado de busca foi cumprido na casa do PM em um município que não é divulgado pela polícia, no Vale do Taquari. O policial militar não foi intimado, e sim convidado a prestar depoimento.

— A auditoria ainda não foi encerrada para podermos delimitar qual foi o período em que o PM teria acessado esses dados. Mas podemos afirmar que está bem evidente que ele cruzava informações de pessoas específicas com o objetivo de determinar as suas localizações de possíveis vítimas — afirmou o delegado Marco Antônio Souza.

Segundo Souza, o PM segue investigado e não é descartada a participação de outros agentes públicos no esquema criminoso.

Leia mais: 
Delação premiada revelou à polícia plano para atacar juíza e policiais 
"Uma vez comprovada, essa maçã podre será eliminada", diz Schirmer sobre envolvimento de PM em plano para atacar juíza
Criminosos que planejavam ataque à juíza foram alvo de operação com mais de 120 presos

Na BM, de acordo com o coronel Cavalli, o policial militar responderá a processo administrativo-disciplinar (PAD) por ter cedido sua senha a colegas, atitude não permitida na corporação. Mas seguirá trabalhando.

 
 

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaPrimeiro relatório da temporada aponta 44 pontos impróprios para banho em SC https://t.co/mWmj1CVZKehá 2 horas Retweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaCorpo é encontrado às margens da BR-101, em Joinville https://t.co/iT10L1DbWkhá 2 horas Retweet
  •  
A Notícia
Busca
clicRBS
Nova busca - outros