Deputados articulam derrubar pacote anticorrupção no plenário - Política - A Notícia

Versão mobile

Reação24/11/2016 | 07h22Atualizada em 24/11/2016 | 09h43

Deputados articulam derrubar pacote anticorrupção no plenário

Novo texto deverá incluir a anistia à prática do caixa 2 nas campanhas eleitorais e a previsão de punir magistrados e integrantes do MPF por crime de responsabilidade

Deputados articulam derrubar pacote anticorrupção no plenário Luis Macedo / Câmara dos Deputados / Divulgação/Câmara dos Deputados / Divulgação
Parecer foi aprovado em comissão especial na Câmara dos Deputados na quarta-feira Foto: Luis Macedo / Câmara dos Deputados / Divulgação / Câmara dos Deputados / Divulgação
Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo

Após a aprovação do pacote de medidas contra a corrupção na comissão especial da Câmara dos Deputados, líderes de praticamente todos os partidos — com exceção da Rede e do PSOL — vão tentar derrubar o texto do relator Onyx Lorenzoni (DEM-RS) e aprovar um projeto substitutivo no plenário da Casa.

A votação está prevista para ocorrer nesta quinta-feira. O novo texto deverá incluir as duas medidas que ficaram de fora do pacote aprovado: a anistia à prática do caixa 2 nas campanhas eleitorais e a previsão de punir magistrados e integrantes do Ministério Público Federal (MPF) por crime de responsabilidade.

Leia mais:
Quais mudanças no pacote anticorrupção foram feitas em comissão especial
Não é possível anistiar o caixa 2, afirma Onyx

— Vamos votar um substitutivo que muda bastante o conteúdo do texto, muda quase tudo, cerca de 70%  — disse o deputado Vicente Cândido, vice-líder do PT e próximo ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Segundo o deputado, há um acordo para que o texto siga "de imediato" para ser apreciado no Senado, para, em seguida, ser sancionado pelo presidente Michel Temer (PMDB). Cândido, no entanto, negou que a pressa exista por conta da expectativa da homologação das delações dos executivos da Odebrecht, no âmbito da Operação Lava-Jato.

Para justificar a aprovação de um texto mais favorável à classe política, deputados alegam que o relator das medidas anticorrupção descumpriu o acordo com os líderes e votou um texto diferente do que foi acertado com as bancadas.

Maia nega que haverá anistia ao caixa 2

O presidente da Câmara deixou a Casa por volta das duas da manhã dizendo que não conhecia o texto aprovado e que, por isso, não sabia dizer o que iria acontecer durante a votação do pacote no plenário. "Eu não vi o texto, então não posso dizer o que vai ser aprovado."

Maia também negou que haverá uma anistia aos políticos que praticaram caixa 2 e defendeu a tese de que, como o crime passará a ser tipificado somente após a aprovação da proposta, não há como punir quem praticou atos dessa natureza antes.

O pacote das medidas anticorrupção foi aprovado por unanimidade na comissão (30 a zero). A votação foi concluída somente depois da meia-noite. Por conta do horário, Maia desistiu de votar o texto no plenário na madrugada desta quinta-feira.

A sessão foi suspensa, mas os principais líderes da Casa continuaram no gabinete de Maia discutindo que estratégia adotar diante do texto que foi aprovado no colegiado.

Leia as últimas notícias

 
 
A Notícia
Busca
clicRBS
Nova busca - outros