Conselheiro volta atrás e Comissão de ética abre processo contra Geddel  - Política - A Notícia

Versão mobile

Brasília21/11/2016 | 22h06

Conselheiro volta atrás e Comissão de ética abre processo contra Geddel 

Segundo ex-ministro da Cultura, Marcelo Calero, Geddel o teria pressionado para liberar construção de um edifício em Salvador

Conselheiro volta atrás e Comissão de ética abre processo contra Geddel  Valter Campanato/Agência Brasil
Ministro teria uma unidade em edifício construído em Salvador, centro da polêmica entre ele e Marcelo Calero Foto: Valter Campanato / Agência Brasil
Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo

O presidente da Comissão de Ética Pública da Presidência da República, Mauro Menezes, disse, na tarde desta segunda-feira, que o conselheiro José Saraiva, que havia pedido vista no processo que investigará o ministro Geddel Vieira Lima (Secretaria de Governo), mudou de ideia e que o processo foi aberto "por unanimidade".

Segundo Menezes, o conselheiro afirmou que não queria atrapalhar o processo e "em um gesto de boa vontade" acatou a abertura. Com o pedido de vista suspenso, o último conselheiro também votou pela abertura do processo. Menezes disse que recebeu uma ligação de Geddel durante a reunião do colegiado e confirmou que o ministro pediu celeridade no caso. 

— O ministro Geddel mostrou boa vontade para responder com máxima rapidez à comissão — disse.

Leia mais:
Temer diz que Geddel continua à frente da Secretaria do Governo
Temer está "muito preocupado" com acusações contra Geddel, afirma Moreira Franco
"Vou deixar o cargo por isso? Pelo amor de Deus!", diz Geddel

Segundo o presidente do colegiado, Geddel já foi informado da decisão e deve ser notificado "agora mesmo". 

— O ministro terá dez dias para se manifestar perante a comissão — disse Menezes, afirmando que disse a Geddel que ele terá todas as condições para ser ouvido e negou pressão por parte do ministro.

Saraiva foi indicado pelo próprio Geddel para o cargo e tomou posse em setembro deste ano, já na gestão de Michel Temer, mas sua nomeação foi assinada pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia, que estava no exercício da Presidência, após pedido do ministro Geddel, que é seu amigo.

Questionado se poderia haver algum tipo de suspeição na conduta de Saraiva, Menezes afirmou que tem "confiança que conselheiros agem com absoluta autonomia". Ele mencionou ainda que o relator do caso será designado até a terça-feira.

 
 

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaConmebol confirma título da Chapecoense na Copa Sul-Americana https://t.co/DRSnXaMH9jhá 15 horas Retweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaTrês pessoas morrem em acidente na BR-101, em Joinville https://t.co/l8OUqDJflmhá 15 horas Retweet
  •  
A Notícia
Busca
clicRBS
Nova busca - outros