Presidentes dos principais partidos de SC avaliam novo mapa partidário do Estado - Política - A Notícia

Versão mobile

Eleições 201602/10/2016 | 23h38Atualizada em 02/10/2016 | 23h57

Presidentes dos principais partidos de SC avaliam novo mapa partidário do Estado

Siglas admitem que resultados de 2016 já indicam caminho para a eleição ao governo do Estado em 2018

O PT foi o partido, entre os maiores do Estado, que teve a maior redução no número de prefeitos eleitos em relação a 2012. Naquele ano, a sigla fez 45 prefeitos e, agora, apenas 20. O presidente estadual do PT, Cláudio Vignatti, admite que as perdas eram esperadas diante do cenário nacional. O impeachment de Dilma Rousseff e o crescimento da rejeição à esquerda refletiram também no panorama catarinense.

PMDB é o partido que mais elege prefeitos em SC, mas número é menor do que o de 2012

— Era um processo natural perdermos prefeituras, principalmente na região Sul do país. Claro que queríamos eleger mais prefeitos, mas cumprimos o objetivo, apresentamos as propostas. O PT vai ter que fazer todo um debate de rediscussão do partido, não há dúvida — avalia Vignatti, que pondera também que 28 dos 46 prefeitos em 2012 estavam no segundo mandato e não podiam tentar a reeleição, tendo costuras já previamente definidas para lançar sucessores de outros partidos.

Veja a lista de todos os prefeitos eleitos em Santa Catarina
Dia teve de prisões e casal indo direto da festa de casamento à urna. Confira
Eleição foi tranquila em SC, dizem autoridades da segurança pública

No caminho inverso, o PSD subiu de 49 para 61 prefeitos eleitos. O presidente catarinense da sigla, deputado estadual Gelson Merisio, analisa que mais do que a quantidade, ocorreram vitórias estratégicas que ajudam a consolidar o partido como força inclusive para concorrer ao governo do Estado em 2018. 

— A grande vitória é por termos crescido na importância das cidades em que elegemos prefeitos. E pra nós ainda não terminou, porque temos cabeça de chap a no segundo turno em Blumenau e Joinville e vice na Capital. Isso deixa claro um caminho para a candidatura do partido no sentido oposto ao PMDB em 2018. De forma natural, não como confronto buscado — afirma.

Não votou nem justificou a ausência? Veja o que fazer

O PP manteve o mesmo tamanho de 2012 para cá: 46 prefeituras conquistadas. Para o presidente estadual, deputado federal Esperidião Amin (PP), o desempenho é satisfatório principalmente diante de um quadro de diluição de partidos com o crescimento de siglas menores:

— É preciso considerar também que não integramos o governo do Estado desde 2002, não temos a máquina governamental. Então o resultado é um grande feito, que se deve a nossas lideranças e à confiança do eleitor. Atribuo o desempenho também à perspectiva política que temos em SC, que é o eleitor médio acreditando que vamos estar disputando o governo catarinense em 2018.

A reportagem tentou entrar em contato com os presidentes do PSDB e do PMDB em SC, mas não houve retorno até as 23h30min deste domingo.

 
 

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A Notícia'Não haverá confronto', afirma representante dos taxistas de Joinville após anúncio do Uber na cidade:… https://t.co/3gdvHNL0RZhá 1 horaRetweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaUber começa a operar nas ruas de Joinville nesta sexta-feira: https://t.co/r0o6vU1YCx https://t.co/Z64ka18wEghá 2 horas Retweet
  •  
A Notícia
Busca
clicRBS
Nova busca - outros