O PSDB e o segundo turno em Santa Catarina - Política - A Notícia

Versão mobile

Moacir Pereira13/10/2016 | 07h04Atualizada em 13/10/2016 | 07h04

O PSDB e o segundo turno em Santa Catarina

A política de alianças na eleição de primeiro turno e as novas conversações no segundo turno em SC indicam a estratégia do vice-governador Eduardo Pinho Moreira

O PSDB e o segundo turno em Santa Catarina Betina Humeres/Agencia RBS
Foto: Betina Humeres / Agencia RBS

A política de alianças na eleição de primeiro turno e as novas conversações no segundo turno em Santa Catarina indicam a estratégia do vice-governador Eduardo Pinho Moreira de selar um pacto com o PSDB, na perspectiva da eleição de 2018.

Principal líder do PMDB, Eduardo Moreira repete a visão do falecido senador Luiz Henrique da Silveira que, na formação da chapa à reeleição em Joinville, em 1998, convidou Marco Tebaldi para ser seu vice.  Foi a partir daquele marco zero que os tucanos, até então, coligados de Esperidião Amin, começaram a construir um novo projeto, afinal vitorioso em 2002.

Antes da eleição de 2 de outubro, Eduardo Moreira abriu canais de conversações com Clésio Salvaro, do PSDB, eleito prefeito com a maior vitória na história de Criciúma. O vice desaconselhou iniciativas dos líderes do PMDB local de recorrerem à Justiça, iniciativa que coube ao PP.

A distensão consolidou-se na audiência desta semana. O prefeito eleito Clésio Salvaro e seu vice Ricardo Fabris tiveram conversa amistosa. Moreira comprometeu-se em agir no governo por Criciúma, cuja prefeitura tem uma dívida milionária e enfrenta problemas sérios na área da saúde.

Foi Eduardo Moreira que viabilizou a aliança com o PSDB em Florianópolis. Os tucanos deram o vice de Gean Loureiro, enquanto o PMDB desistiu de candidatos em Blumenau, apoiando Napoleão Bernardes (PSDB) e respaldando Carlos Stupp (PSDB) em Tubarão. O presidente estadual da sigla, Mauro Mariani, defendia candidatura do PMDB  em Blumenau.

Agora, no segundo turno, o presidente do PSDB, Marcos Vieira, já avisou a Raimundo Colombo e a Gelson Merísio. Se o governador e o presidente do PSD mergulharem na campanha de Jean Kuhlmann (PSD) em Blumenau contra Napoleão Bernardes (PSDB), o senador Paulo Bauer e os tucanos vão acampar em Joinville para apoiar a reeleição de Udo Döhler (PMDB).

A eleição de 30 de outubro poderá, assim, sinalizar caminhos e tendências sobre as alianças em 2018.

Acompanhe as publicações de Moacir Pereira
Leia as últimas notícias do Diário Catarinense    

 
 

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaJovem de 24 anos é morto a tiros na zona Norte de Joinville https://t.co/NVHjEeMLQChá 9 horas Retweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaJoinvilense ganha quase R$ 1 milhão em aposta na Lotofácil https://t.co/m1zlCP6xes https://t.co/exHcidw8sXhá 12 horas Retweet
  •  
A Notícia
Busca
clicRBS
Nova busca - outros