Após onda de violência em Itajaí, a ordem para PM é endurecer - Política - A Notícia

Versão mobile

Moacir Pereira14/10/2016 | 07h05Atualizada em 14/10/2016 | 07h05

Após onda de violência em Itajaí, a ordem para PM é endurecer

O orientação partiu do governador Raimundo Colombo para a Polícia Militar e as estruturas das secretarias de Segurança Pública e de Justiça e Cidadania

Após onda de violência em Itajaí, a ordem para PM é endurecer Betina Humeres/Agencia RBS
Foto: Betina Humeres / Agencia RBS

A Polícia Militare as estruturas das secretarias de Segurança Pública e de Justiça e Cidadania tem ordem expressa do governador Raimundo Colombo para reprimirem com toda veemência, dentro da lei, a onda de violência que atingiu Itajaí durante o feriado desta semana.

As autoridades estaduais tem leitura muito clara sobre as causas dos incêndios provocados em ônibus, tiros disparados em cidades do litoral e outros atos criminosos: guerra entre facções e disputa pelos espaços no tráfico de drogas.

Colombo está ligado online com o secretário Cesar Grubba e todo o sistema de segurança pública de Santa Catarina desde segunda-feira. No início da semana, chegou a transferir viagem a Brasília, onde teria uma importante reunião sobre reforma previdenciária com outros governadores, para acompanhar as manifestações previstas para o início da noite.

Os organizadores – que não se identificaram em nenhum momento - divulgaram a convocação do protesto político como Ocupa Ponte.  Ao ser informado do panfleto que estava sendo distribuído, com ilustração de um fogaréu e o anuncio de fechamento da ponte, o governador foi incisivo: "Fechar a ponte, jamais".  Certíssimo!  Os cerca de 300 manifestantes já se posicionaram no terminal de ônibus para o enfrentamento com a Polícia Militar, praticando atos de vandalismo e a clara disposição de fechamento da ponte Colombo Salles. A PM cumpriu seu dever e manteve a ordem.

Em relação aos atos praticados no litoral norte a ordem é ainda mais dura. Os atentados foram provocados por transferência de líderes de facções criminosas. As ações da segurança pública precisam ser apoiadas pelas autoridades e aplaudidas pela população, sob pena de perda do controle.

A ousadia destes bandidos não traz só insegurança à população, o que seria grave. Essa criminosa audácia afeta o turismo e toda a economia.

Acompanhe as publicações de Moacir Pereira

Leia também:

Após noite de ataques, Polícia Militar define estratégias de segurança no Litoral

"Reivindicações dos presos parecem distorcidas e despropositadas", diz secretário adjunto de Justiça e Cidadania

Revolta na prisão resulta em noite violenta nas ruas em Itajaí e Balneário Camboriú

 
 

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaFim de semana será de chuva em todas as regiões de Santa Catarina https://t.co/hwiw5PbHa7há 42 minutosRetweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A Notícia'AN' testa o aplicativo Uber no primeiro dia de funcionamento em Joinville https://t.co/il68udAyxO https://t.co/6WUEYID981há 13 horas Retweet
  •  
A Notícia
Busca
clicRBS
Nova busca - outros