Saiba qual é o peso da saúde nas contas de Joinville - Política - A Notícia

Versão mobile

 

 

Eleições 201628/07/2016 | 07h36

Saiba qual é o peso da saúde nas contas de Joinville

Melhorar o atendimento é promessa comum de candidatos, mas a solução não é tão simples assim

Saiba qual é o peso da saúde nas contas de Joinville Salmo Duarte/Agencia RBS
Hospital São José: no centro do debate sobre o futuro da saúde Foto: Salmo Duarte / Agencia RBS

Por afetar diretamente a qualidade de vida do cidadão, a saúde pública de Joinville é tema sempre presente nas campanhas eleitorais. Falta de remédios, filas para cirurgias e exames e a espera por leitos são situações recorrentes no atendimento municipal.

Leia mais sobre Joinville e região em AN.com.br 

Quem já passou por algo parecido certamente ouvirá com atenção as promessas dos candidatos. No entanto, nenhum prefeito, secretário ou vereador conseguirá modificar o quadro atual com uma medida isolada de gabinete.

O jornal “A Notícia” conversou com as lideranças da Secretaria de Saúde, da Sociedade Joinvilense de Medicina e do Hospital Municipal São José e todos concordam em um ponto: a estrutura da saúde e seus custos são grandes demais para a capacidade financeira do município - e o peso maior está no hospital.

Encontrar uma saída requer articulação política e o envolvimento da sociedade. Esta talvez seja a principal contribuição que os eleitos no mês de outubro podem oferecer, na visão de especialistas como o presidente da Sociedade Joinvilense de Medicina, Antônio César Franco Garcia.

— O gestor sozinho não vai resolver nada, é preciso um pacto da sociedade e a classe política é quem deve mobilizá-la, começando pelo diagnóstico de recuperação da saúde no longo prazo — afirma.

Embora seus custos sejam altos demais para Joinville, o hospital é vital para região. O São José é a unidade hospitalar que mais atende pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) em Santa Catarina, referência para uma população de 1,3 milhão de pessoas, dependendo do tipo de tratamento.

Pelo pronto-socorro, passam 45 mil pessoas por ano. No ano passado, 13% desses atendimentos eram de pessoas de fora de Joinville. Na internação, o índice sobe para 24%. Os pacientes chegam de várias cidades, desde Blumenau até Curitiba.

O São José também abriga núcleos de excelência como a equipe do neurologista Pedro Magalhães, cujo trabalho é referência nacional entre hospitais públicos no tratamento de acidente vascular cerebral (AVC), o popular derrame, e vem sendo estudado pelo Ministério da Saúde para se tornar modelo de política pública.

Encontrar uma forma sustentável de custear os gastos do Hospital Municipal São José, portanto, é um dos primeiros passos para se construir um futuro melhor para a saúde de Joinville.

Confira aqui a reportagem completa sobre saúde:

Joinville Desafios do Futuro


Acompanhe as reportagens

Dia 30 de junho — Cultura
Dia 7 de julho — Turismo e lazer
Dia 14 de julho — Segurança
Dia 21 de julho — Educação
Dia 28 de julho — Saúde
Dia 4 de agosto — Assistência social
Dia 11 de agosto — Habitação
Dia 18 de agosto —Esporte
Dia 25 de agosto — Infraestrutura urbana
Dia 1º de setembro — Meio ambiente

A NOTÍCIA

 

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaJoinville utiliza 60,7% da capacidade total de vagas do sistema socioeducativo https://t.co/I0csr1oAyS #LeianoANhá 14 minutosRetweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaEm terceiro dia de greve dos servidores, Prefeitura de Joinville apresenta nova proposta https://t.co/nRBVHg5f9z #LeianoANhá 12 horas Retweet
A Notícia
Busca