Trump nega conluio com a Rússia após novas revelações na investigação - A Notícia

Versão mobile

 

Washington08/12/2018 | 15h33

Trump nega conluio com a Rússia após novas revelações na investigação

AFP
AFP

O presidente dos EUA, Donald Trump, negou novamente neste sábado um conluio de sua campanha presidencial com a Rússia, evitando comentar alegações de que ele próprio teria organizado pagamentos para silenciar mulheres e evitar um escândalo sexual durante a eleição.

Trump usou o Twitter, seu meio de comunicação favorito, para tratar dos documentos judiciais múltiplos apresentados na sexta-feira pela exaustiva investigação do promotor especial Robert Mueller sobre a intromissão da Rússia na eleição de 2016.

"APÓS DOIS ANOS E MILHÕES DE PÁGINAS DE DOCUMENTOS (e um custo de mais de US$ 30.000.000), NÃO HÁ CONLUIO!", escreveu o presidente.

Embora os documentos não tenham apresentado evidências de conluio, ofereceram novas informações sobre a investigação de Mueller.

Os promotores federais relacionaram diretamente Trump nos esforços para comprar o silêncio de duas mulheres que alegaram ter tido casos com ele, e disseram que ele ordenou que seu então advogado Michael Cohen lhes oferecesse dinheiro para calá-las.

Em agosto, Cohen se declarou culpado por violar a lei de financiamento de campanha em relação aos pagamentos.

Os investigadores também disseram que Cohen estava em contato com um cidadão russo desde novembro de 2015, meses antes de Trump formalmente ganhar a candidatura presidencial, que teria tido "sinergia em nível governamental".

Além disso, acusaram a ex-responsável pela campanha de Trump, Paul Manafort, de ter dito várias "mentiras" para os investigadores: sobre seus contatos com funcionários da administração, mesmo depois de chegar a um acordo de colaboração; sobre o pagamento de uma dívida que ele fez; e sobre sua interação com um suposto oficial de inteligência russo.

* AFP

 
A Notícia
Busca