Pais de alunos de escola estadual de Joinville reclamam do cardápio da merenda - A Notícia

Versão mobile

Pouca variedade11/09/2012 | 10h10

Pais de alunos de escola estadual de Joinville reclamam do cardápio da merenda

Aluno faz vídeo com opções do almoço: feijão e atum como pratos principais

Pais de alunos que frequentam o ensino médio integral da Escola Estadual Celso Ramos, no bairro Bucarein, em Joinville, reclamam de problemas no cardápio do almoço. Há dez dias, o estudantes estariam comendo apenas feijão e carne moída ou feijão e atum – ou seja, sem outras opções de carboidratos importantes, como arroz e macarrão, ou saladas.

É a segunda vez que a escola passa por problemas na oferta de almoço. No começo do ano, por falta de merendeira, professores foram para a cozinha para não deixar os alunos sem comer. Um aluno fez um vídeo e publicou na internet. Na cena, depois de fazer as imagens do bufê com feijão e atum, ele questiona uma das merendeiras. Nas imagens, não fica claro se há outros alimentos.

VÍDEO: veja as imagens da merenda feitas pelo aluno.

Em uma segunda mesa, aparece um recipiente que parece ter um tipo de salada verde. Há, também, uma quarta bandeja, mas não é possível identificar o que há nela. Atualmente, a secretaria é responsável por enviar alguns alimentos e enlatados para as escolas de ensino médio integral, como arroz, feijão. As verduras e algumas carnes são compradas pela própria direção da escola com R$ 24 mil bimestrais.

Reclamação formal

Um dos pais só ficou sabendo nesta segunda-feira da falta de variedades nos alimentos. Ele recebeu uma mensagem do filho dizendo que não queria almoçar na escola porque só tinha feijão e atum. Ele foi conversar com a diretora confirmou a informação.

— A semana passada foi a mesma coisa. Soube que está há dez dias com este problema. A diretora não deu prazo para resolver — destaca.

E ainda desabafa:

— A gente não sabe o que fazer. Quem é que passa a semana com feijão e atum? — questionou.

O pai, que preferiu não se identificar, disse ainda que a direção estava liberando os estudantes para almoçar em casa e, depois, retornar para a aula. Agora, a única solução que vê será buscar o filho todos os dias, levá-lo para almoçar, e devolvê-lo novamente para a escola.

A diretora da escola, Karla Korner Abumansur, não quis comentar a reclação dos pais, nem prestar informações sobre o assunto. Questionada se sabia do problema, respondeu que sim, mas que apenas a gerência regional de educação da Secretaria de Desenvolvimento Regional poderia se manifestar sobre o assunto.

PDF: contraponto.
 
 

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaJEC empata com o Volta Redonda e continua fora do G4 da Série C https://t.co/m5vvQMksGL #LeianoANhá 13 horas Retweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaPalestrantes com renome mundial passam por Blumenau durante evento de negócios https://t.co/mcKqxYdgnj #LeianoANhá 13 horas Retweet
A Notícia
Busca
Imprimir
clicRBS
Nova busca - outros