Grevistas fazem manifestações nos bairros em Joinville - A Notícia

Versão mobile

31/05/2011 | 12h05

Grevistas fazem manifestações nos bairros em Joinville

Nesta terça-feira, manifestantes prometem lotar a Câmara de Vereadores

Grevistas fazem manifestações nos bairros em Joinville Pena Filho/Agencia RBS
Servidores fazem manifestação no bairro Paranaguamirim Foto: Pena Filho / Agencia RBS

Os servidores públicos municipais, que estão há 23 dias em greve, começaram nesta terça-feira uma série de manifestação nos bairros, para esclarecer a população sobre os motivos da paralisação e encontraram apoio de membros da comunidade do Paranaguamirim.

Pessoas como Alda Szuta, de 62 anos, se uniram aos manifestantes para protestar, pela manhã, em frente à escola Ada Santana, na rua Monsenhor Gercino.

— Tenho pressão alta e diabetes e não tem médico no postinho aqui do Paranaguamirim desde que essa greve começou, mas apoio o movimento porque sei que eles têm razão de pedir aumento —, dizia a aposentada, que não estava sozinha.

Outros moradores, mesmo considerando-se prejudicados pela paralisação, que afeta serviços de saúde e educação no bairro, manifestaram apoio ao movimento. Até os alunos da escola, durante o intervalo da aula, demonstraram que estavam de acordo com os professores que aderiram à greve e estavam do lado de fora dos portões, tentando convencer outros funcionários da escola a deixar os postos de trabalho.

À tarde, os grevistas prometem lotar a Câmara de Vereadores para acompanhar a tradicional prestação de contas do quadrimestre da Prefeitura.

— Esta prestação de contas é protocolar, então, não temos muita esperança de que esse momento seja decisivo para por fim à greve, até porque a presença do Prefeito Carlito Merss não está confirmada, apenas técnicos da Prefeitura deverão apresentar os números da administração —, diz o presidente do sindicato da categoria, Ulrich Beathalter.

Quanto à resposta negativa da Justiça, com relação ao pedido de liminar feito pelo sindicato para impedir que a Prefeitura desconte dos grevistas os dias parados, Beathalter diz que esta resposta já era esperada. Mas diz que o sindicato vai recorrer contra a decisão.

— Vamos protocolar ainda hoje (terça-feira), em Florianópolis, um recurso junto ao Tribunal de Justiça —, afirma.

Quem também deve comparecer nesta tarde à Câmara de Vereadores são os professores da rede estadual em greve.

— A intenção é buscar o apoio de vereadores e deputados presentes para que eles pressionem o governo a pagar o piso da categoria aos professores, respeitando as diferentes faixas salariais para professores com magistério, graduação e pós-graduação —, explica o professor Valtecir Marion, da escola Jandira D'Ávila, onde apenas alguns alunos continuam tendo aula, devido à adesão de 88% dos funcionários.

Pela manhã, um grupo de grevistas distribuíram panfletos em um pedágio simbólico, na esquina da rua Tuiuti com a Emilio Landmann, no Aventureiro, e explicaram a moradores os motivos da paralisação.

a notícia

 
 

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaLoetz: IPTU progressivo já tem áreas delimitadas em Joinville https://t.co/RlPlo2r79E #LeianoANhá 27 minutosRetweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaVitória contra o Volta Redonda neste sábado coloca o JEC no G4 da Série C https://t.co/1LmzZAVitV #LeianoANhá 10 horas Retweet
A Notícia
Busca
clicRBS
Nova busca - outros