Nova administradora do Museu Casa Fritz Alt, em Joinville, luta por investimentos no antigo lar - A Notícia

Versão mobile

14/02/2009 | 09h35

Nova administradora do Museu Casa Fritz Alt, em Joinville, luta por investimentos no antigo lar

Linda Poll sabe que os problemas a serem resolvidos envolvem não só os projetos museológicos e educativos, como a própria estrutura

Nova administradora do Museu Casa Fritz Alt, em Joinville, luta por investimentos no antigo lar Cleber Gomes/
Para a nova diretora, revitalizar o Museu Casa Fritz Alt é valorizar o legado de um grande artista Foto: Cleber Gomes
No retorno para Joinville depois de um ano e meio em Brasília, a artista plástica Linda Suzana Poll teve de aposentar temporariamente os calçados finos e com salto. À frente do Museu Casa Fritz Alt, ela sabe que os problemas a serem resolvidos envolvem não só os projetos museológicos e educativos, como a própria estrutura do local.

E para isso será preciso colocar, literalmente, o pé na lama em um dos espaços culturais mais bonitos de Joinville, mas que sofre os efeitos do tempo e da falta de cuidados. Linda Poll, 30 anos dedicados à arte, herdou a função do historiador Walter de Queiroz Guerreiro.

O antigo administrador já avisava: o acervo do museu e seus visitantes correm sérios riscos de serem atingidos pela casa deteriorada, datada do início do século passado e que teve a última restauração completa em 1991. O telhado, o assoalho afundado, os tacos devorados por cupins e até o suporte das obras de Fritz Alt precisam ser trocados com urgência.

— Se fosse para ficar sem fazer nada, eu nem teria vindo — brinca a nova diretora, que define a tarefa como um “desafio gostoso”.

Os projetos iniciados pelo Walter Guerreiro, como a restauração do acervo em gesso de Fritz Alt e os projetos de arte-educação serão continuados, somados à melhorias de estrutura e programas para atrair novos visitantes. Da lista de museus de Joinville, a Casa Fritz Alt é um dos menos visitados e praticamente só atrai excursões escolares — visitas espontâneas e de turistas são incomuns, principalmente porque o acesso não é dos melhores.

— É preciso divulgar melhor o museu. Até a placa de sinalização é pequena. Tem gente que passa e não consegue ver — avalia Linda Poll.

As reformas estruturais esbarram na falta dos famigerados investimentos. O orçamento é satisfatório para a manutenção do espaço, mas insuficiente para qualquer reforma predial, até porque a casa é patrimônio histórico e exige um cuidado maior antes de qualquer intervenção.

— O poder público não tem como absorver isso, é muito alto e desfalcaria os recursos para outras áreas culturais. O jeito é buscar parcerias. Temos o contato com empresas e precisamos encaminhar algum projeto — diz.

Até para melhorar o aspecto visual do museu, a primeira iniciativa de Linda quando assumiu a coordenação foi iniciar uma limpeza geral nas áreas internas e externas, além do serviço de jardinagem. Para a nova diretora, revitalizar o Museu Casa Fritz Alt é valorizar o legado de um grande artista que escolheu a cidade para fazer história.

— Até o local onde ele resolveu morar é um presente.

Para fazer o joinvilense conhecer esse lugar encravado no Morro do Boa Vista, ainda neste ano deve ocorrer a segunda edição do Encontro de Escultores, como Linda Poll fez quando estava na coordenação da Casa da Cultura, em 1999.

A NOTÍCIA

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaFutura gestão do JEC ainda procura um nome para a vice-presidência  https://t.co/GCTWJqWZFh #LeianoANhá 2 horas Retweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaLoetz: Receptação de carga roubada agora pode fechar empresas  https://t.co/izN65xW6CA #LeianoANhá 4 horas Retweet
A Notícia
Busca
clicRBS
Nova busca - outros