Trump nomeia general do Exército para Estado-Maior Conjunto - Mundo - A Notícia

Versão mobile

 

Washington08/12/2018 | 16h53

Trump nomeia general do Exército para Estado-Maior Conjunto

AFP
AFP

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou neste sábado (8) que indicou o chefe de pessoal do Exército, general Mark Milley, para ser seu próximo principal assessor militar.

O presidente dos Estados Unidos descartou, assim, o candidato favorito de Mattis para a nomeação do cargo mais alto nas Forças Armadas, um posto que marcará a pauta do Pentágono por quatro anos.

O general Milley, de 60 anos, graduou-se na Universidade de Princeton, , que participou de forma destacada nas guerras do Iraque e do Afeganistão. Ele sucederá o general Joe Dunford, que foi designado para este cargo em 2015 por Barack Obama durante dois anos e mantido por Trump em 2017 por um segundo período de dois anos.

O general Milley, cuja nomeação deve ser aprovada pelo Senado, se beneficiará de uma nova lei aprovada em 2017 para duplicar a duração do mandato do Chefe do Estado Maior e de seu adjunto para garantir a continuidade militar apesar das mudanças de governo.

"Estou grato a esses dois homens incríveis por seu serviço a nosso país", escreveu o presidente depois de anunciar sua eleição no Twitter.

O general Dunford felicitou seu sucessor através de seu porta-voz, o coronel Patrick Ryder.

"Serviu junto ao general Milley em tempos de paz e em combate, e goza da maior estima por suas capacidades de liderança", disse seu porta-voz.

Trump disse que a data de passagem de poder entre os dois homens ainda está "por ser determinada", em um sinal de que a saída do general Dunford poderá ser adiantada.

O coronel Ryder assegurou que "tudo leva a crer que o general Dunford completará seu mandato".

De acordo com a imprensa americana, o secretário da Defesa, Jim Mattis, apoiou o general da Força Aérea David Goldfein, seguindo a tradição de revezar o posto entre as diferentes armas. Dunford é um general de Infantaria da Marinha. Não houve um oficial da Força Aérea no cargo desde 2005.

Trump, que conhece os dois homens, teria preferido a personalidade expansiva do general Milley, que adorna seus discursos com humor e referências históricas, à moderação do general Goldfein, muito respeitado na Força Aérea dos Estados Unidos.

A reação do Departamento de Defesa ao anúncio do presidente foi bastante discreta.

"Estamos a par da escolha do presidente e compartilhamos sua confiança no general Mark Milley", informou um porta-voz do Pentágono, o tenente coronel Mike Andrews. "O Ministério da Defesa continua totalmente focado na defesa de nuestro país", disse o porta-voz em uma breve declaração.

* AFP

 
A Notícia
Busca