Lagarde não vê sinais de recessão a curto prazo nos EUA - Mundo - A Notícia

Versão mobile

 

Washington06/12/2018 | 17h23

Lagarde não vê sinais de recessão a curto prazo nos EUA

AFP
AFP

Apesar da incerteza e da volatilidade dos mercados, parece improvável que os Estados Unidos venham a sofrer uma crise econômica no curto prazo, disse a diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, nesta quinta-feira.

Em um dia em que Wall Street caiu mais de 3%, Lagarde disse que "há dúvidas sobre as perspectivas de crescimento", mas a preocupação é "um pouco exagerada".

"No curto prazo, não vejo elementos de recessão", disse ela à CNBC.

No entanto, ela afirmou que o Federal Reserve (Fed, o Banco Central dos Estados Unidos) "provavelmente desacelerará" a taxa de aumento das taxas de juros à luz dos dados econômicos.

O Fed já elevou os juros três vezes este ano, e um novo aumento é esperando em duas semanas. Contudo, a entidade indicou que poderia demorar ou fazer uma pausa nas altas se a economia americana perder força.

Lagarde não fez recomendações ao Fed, mas disse que suas decisões dependerão "da leitura que fizerem sobre o estado da economia" e que é preciso haver uma boa comunicação, já que a política monetária americana tem impacto mundial.

A diretora-gerente do FMI também falou sobre a guerra de tarifas entre EUA e China. Ela disse que se o confronto parar agora, seus prejuízos diretos à economia global seriam "mínimos". Contudo, o dano pode ser maior se for levada em conta a "apreensão e as incertezas" dos mercados.

Lagarde acrescentou que a trégua acordada entre as duas potências dá margem para o otimismo, embora tenha indicado que o nível de complexidade do tema fará as negociações "levarem muito tempo".

* AFP

 
A Notícia
Busca