Atentado durante comício no Afeganistão deixa ao menos 13 mortos - Mundo - A Notícia

Versão mobile

 

Jalalabad02/10/2018 | 16h29

Atentado durante comício no Afeganistão deixa ao menos 13 mortos

AFP
AFP

Ao menos 13 pessoas morreram e mais de 40 ficaram feridas nesta terça-feira (2) em um atentado suicida, reivindicado pelo grupo Estado Islâmico (EI), durante um comício eleitoral no leste do Afeganistão, informaram diferentes fontes.

O suicida detonou a carga explosiva entre as pessoas que acompanhavam um ato de campanha organizado pelo candidato Abdul Nasir Mohmmand no distrito de Kama, na província oriental de Nangarhar, assinalou o porta-voz do governo local, Ataullah Khogyani, que deu um balanço de 13 mortos e 43 feridos.

Abdul Nasir Mohmmand está "vivo", destacou Khogyani, mas não mencionou se havia ficado ferido na explosão.

O diretor do Departamento de Saúde da província, Najibullah Kamawal, afirmou que o número de mortos pode chegar a 14.

Sayed Humayun, que acompanhava seu primo ferido a um dos hospitais, contou que havia muitas pessoas na sala ouvindo o discurso de Mohmmand quando a bomba explodiu. "Ouvi uma forte explosão", assinalou à AFP.

"Durante um momento não consegui ver nada, achei que tinha ficado cego. Mas depois me dei conta de que estava rodeado por corpos e pessoas cobertas de sangue", acrescentou.

"Estávamos ouvindo o candidato. Logo ouvi um barulho muito forte no meio da sala. Tentei fugir, mas não consegui, porque eu estava ferido em uma das pernas", contou outro homem, Siraj ur Rehman, entrevistado pela AFP no hospital.

A explosão causou o desabamento do teto do edifício. "Ainda há pessoas presas sob os escombros", assinalou à AFP outro participante da reunião, Malik Zeerak.

O EI reivindicou este ataque, de acordo com o SITE, um portal que controla dos Estados Unidos a atividade na Internet dos extremistas, citando uma declaração deste grupo.

Um jornalista da AFP viu várias ambulâncias deixando corpos e feridos em um hospital na capital provincial.

Este é o primeiro ataque desde que, na sexta-feira, começou a campanha para as eleições legislativas de 20 de outubro.

Esta consulta será realizada com três anos de atraso com relação à data inicialmente prevista.

Cinco candidatos foram assassinados em ataques direcionados, de acordo com a Comissão Eleitoral Independente, e teme-se que a violência aumente com a aproximação das eleições.

Vários centros de registro eleitoral também foram atacados, particularmente em Cabul, onde um ataque deixou 60 mortos em 22 de abril.

Os talibãs e o grupo EI anunciaram a sua intenção de perturbar o processo eleitoral.

* AFP

 

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaAcusado de esfaquear a mulher em frente ao filho de dois anos vai à júri popular em Joinville https://t.co/jqxdMRHicK #LeianoANhá 53 segundosRetweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaAcusado de esfaquear a mulher em frente ao filho de dois anos vai à júri popular em Joinville https://t.co/lD9jcT44pR #LeianoANhá 12 minutosRetweet
A Notícia
Busca