Executivos da Samsung, LG e SK farão parte de delegação sul-coreana que irá a Pyongyang - Mundo - A Notícia

Versão mobile

 

Seul16/09/2018 | 09h30

Executivos da Samsung, LG e SK farão parte de delegação sul-coreana que irá a Pyongyang

AFP
AFP

O herdeiro da gigante sul-coreana Samsung e os executivos de vários grandes conglomerados do país vão acompanhar, na terça-feira (18), o presidente sul-coreano Moon Jae-in em sua cúpula com o líder norte-coreano Kim Jong Un, informou neste domingo (16) a presidência da Coreia do Sul.

Lee Jae-yong é o vice-presidente da Samsung Electronics e figura chave do grupo, cujo faturamento representa um quinto do PIB da Coreia do Sul.

Os executivos da SK e da LG também vão integrar a delegação oficial do presidente Moon, assim como Kim Yong-hwan, vice-presidente da Hyundai Motor Group, grupo cujo fundador era um refugiado do Norte.

Hyun Jeong-eun, a presidente da Hyundai Group, uma entidade distinta que, no passado, desempenhou um papel importante em projetos econômicos transfronteiriços, também estará na delegação.

A presidente da Hyundai se reuniu várias vezes com o ex-líder norte-coreano Kim Jong Il. Ela também foi uma das primeiras sul-coreanas a encontrar seu filho e sucessor Kim Jong Un.

Seu padrasto, Chung Ju-yung (1915-2001), fundador do grupo Hyundai, foi um dos promotores da cooperação econômica entre as duas Coreias e havia visitado várias vezes Pyongyang entre 1998 e 2000 para encontrar Kim Jong Il.

Moon, que foi eleito no ano passado defendendo a retomada do diálogo com o Norte depois de anos de crescente tensão em razão do programa nuclear de seu vizinho, está trabalhando para a retomada dos projetos de cooperação intercoreanos, apesar das muitas sanções econômicas internacionais.

Ele voará para Pyongyang na terça-feira para uma visita de três dias. Trata-se de sua terceira cúpula com Kim Jong Un desde abril.

A delegação sul-coreana incluirá 200 pessoas, incluindo o chefe da inteligência sul-coreana, os ministros das Relações Exteriores e da Defesa, além de empresários e personalidades da cultura, religião e até figuras esportivas.

"A próxima cúpula vai abrir caminho para programas transfronteiriços", segundo o comunicado da presidência.

O programa deste novo encontro ainda não foi divulgado, mas é provável que a Coreia do Norte se esforce para impressionar, com milhares de pessoas nas ruas para aclamar o presidente sul-coreano.

Esta visita vai acontecer menos de dez dias após a organização por Pyongyang de seus primeiros "Jogos de massa" em cinco anos, como são chamados os espetáculos coreografados envolvendo dezenas de milhares de pessoas.

Este espetáculo se referiu especialmente à cúpula intercoreana de 27 de abril na Zona Desmilitarizada (DMZ) que corta a península.

O encontro de abril foi o primeiro entre os líderes máximos coreanos em 11 anos, e permitiu que Moon pavimentasse a cúpula histórica de 12 de junho em Singapura entre Kim Kong Un e o presidente americano Donald Trump.

Na ocasião, o líder norte-coreano se comprometeu com a desnuclearização da península. Mas, desde então, poucos avanços foram feitos neste sentido.

Neste contexto, a visita de terça-feira também poderá servir para o presidente sul-coreano tentar facilitar a retomada do diálogo.

Na última sexta-feira, o secretário de Estado americano, Mike Pompeo, garantiu que as conversas com a Coreia do Norte continuam.

"Acreditamos que está no coração dos esforços do presidente Trump convencer o presidente Kim de que a desnuclearização total e definitiva da península coreana é necessário", apontou o chefe da diplomacia americana.

* AFP

 

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaMorre a escritora e professora Mila Ramos, de Joinville https://t.co/gFq9d98K6v #LeianoANhá 2 horas Retweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaDefesa Civil de Joinville realiza ação nas escolas sobre riscos de banhos em rios https://t.co/yKZiCAxhZ1 #LeianoANhá 2 horas Retweet
A Notícia
Busca