Brasil e outros onze países formam grupo especial da OEA para Nicarágua - Mundo - A Notícia

Versão mobile

 

Washington10/08/2018 | 22h45

Brasil e outros onze países formam grupo especial da OEA para Nicarágua

AFP
AFP

Brasil e outros onze países conformam o grupo especial da Organização dos Estados Americanos (OEA) criado para acompanhar a crise na Nicarágua, informou nesta sexta-feira o organismo regional.

Brasil, Argentina, Canadá, Chile, Colômbia, Costa Rica, Equador, Estados Unidos, Guiana, México, Panamá e Peru integram o Grupo de Trabalho para a Nicarágua, revela um comunicado do Conselho Permanente da OEA, que reúne 34 membros ativos da organização.

A Nicarágua foi sacudida a partir de abril por uma onda de protestos contra o governo de Daniel Ortega que deixou 317 mortos, segundo a Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH), órgão autônomo daa OEA.

O grupo especial, concebido para "contribuir com a busca de soluções", foi aprovado em 2 de agosto por uma resolução que obteve 20 votos contra quatro e oito abstenções. A Nicarágua qualificou a decisão de ingerência.

Após a explosão dos protestos na Nicarágua, em 18 de abril, a CIDH conseguiu o aval de Ortega para verificar a situação humanitária no terreno e criou o MESENI, um mecanismo de acompanhamento das recomendações entregues ao governo da Nicarágua.

A CIDH também instaurou, com o aval do governo Ortega, um Grupo Interdisciplinar de Especialistas Independentes (GIEI), com um mandato inicial de seis meses, para investigar os atos de violência registrados.

* AFP

 
A Notícia
Busca