Sexo, jogo e carros de luxo: a face oculta do tratamento do Parkinson - Mundo - A Notícia

Versão mobile

 

Paris20/06/2018 | 21h21

Sexo, jogo e carros de luxo: a face oculta do tratamento do Parkinson

AFP
AFP

Alguns tratamentos contra o Mal de Parkinson têm um lado obscuro, como o aparecimento de uma impulsividade que desencadeia transtornos alimentícios, hiperatividade sexual, compras compulsivas ou dependência em jogo, fenômenos mais frequentes do que se pensava, segundo estudo publicado nesta quarta-feira (20).

Divulgada na revista americana Neurology, a pesquisa se baseou em 411 pacientes franceses submetidos a acompanhamento durante vários anos.

Em um período de cinco anos, estes "problemas de controle de impulsos" afetaram quase metade (46%) dos tratados com "agonistas dopaminérgicos", medicamentos sintéticos que imitam a ação da dopamina, um neurotransmissor.

"Trata-se de gente que se arruína no cassino, acorda de noite para esvaziar a geladeira ou que tem uma sexualidade transbordante. Por exemplo, gente que acaba sendo detida por exibicionismo ou que se divorcia por ter multiplicado os parceiros", indicou à AFP o médico Jean-Cristophe Corvol, dos hospitais universitários Pitié-Salpétrière de Paris.

"Começam a comprar carros de luxo. Um paciente que tinha muito dinheiro dizia que tinha comprado um Porsche e sua mulher o corrigia: não, você comprou quatro de uma vez", acrescentou.

O estudo prova que estes efeitos indesejáveis aumentam com a dose e a duração do tratamento com agonistas da dopamina. "E se o tratamento for interrompido, isto desaparece durante o mesmo ano na maior parte dos casos", destacou Corvol.

A manifestação destes transtornos já estava descrita na pesquisa. Mas na falta de um estudo prolongado, se pensava que a incidência fosse muito menor, de 10% a 15% em um ano.

Segundo os autores, cientistas do Instituto de Saúde e Pesquisa Médica da França (Inserm) e da Universidade da Sorbonne, conhecendo o possível aparecimento destes transtornos, os médicos deveriam advertir os pacientes e suas famílias.

"O entorno nem se dá conta a princípio e quando advertimos o casal, por exemplo, há uma vigilância", afirmou Corvol.

O especialista também mencionou que a criatividade artística ou literária de alguns pacientes aumentou enormemente devido ao tratamento.

O Mal de Parkinson, que afeta uma dezena de milhões de pessoas no mundo, principalmente em idade avançada, se manifesta por sintomas motores (tremores, lentidão e rigidez) devido a uma perda dos neurônios secretores de dopamina.

hh/BC/fmi/cam/jvb/mvv

* AFP

 

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaEx-aluno da Escola Bolshoi de Joinville morre afogado no Rio Grande do Sul https://t.co/adAuR25GJd #LeianoANhá 6 horas Retweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaConfira como foi o primeiro dia e a abertura da 80ª Festa das Flores de Joinville https://t.co/TaIaNIrHlS #LeianoANhá 6 horas Retweet

Mais sobre

A Notícia
Busca