ONU acusa Damasco de crimes contra a humanidade em Ghuta Oriental - Mundo - A Notícia

Versão mobile

 

Genebra20/06/2018 | 10h01

ONU acusa Damasco de crimes contra a humanidade em Ghuta Oriental

AFP
AFP

Os crimes cometidos pelas forças leais ao regime sírio durante o cerco a Ghuta Oriental, como, em particular, a fome entre os civis, são comparáveis a crimes contra a humanidade, concluiu uma investigação da ONU divulgada nesta quarta-feira.

Este reduto rebelde localizado às portas de Damasco foi recuperado pelo regime em abril, depois de cinco anos de cerco.

"Depois de concluído o mais longo cerco da história moderna, a Comissão de Investigação da ONU condenou esta prática bárbara", declararam os investigadores em um comunicado.

A Comissão de Investigação Independente (COI) sobre a Síria recebeu seu mandato em março pelo Conselho de Direitos Humanos para investigar os fatos ocorridos entre fevereiro e abril de 2018 em Ghuta Oriental.

A mesma comissão publicou um relatório de 23 páginas detalhando os sofrimentos dos civis nesse encrave.

"O fato de que os civis sitiados fossem atacados sem distinção e que fossem sistematicamente privados de alimentos e medicamentos é algo totalmente revoltante", declarou o chefe da COI, o brasileiro Paulo Pinheiro, no comunicado.

Pinheiro acusou as forças leais sírias de terem recorrido a práticas ilegais, com o objetivo de "penalizar os habitantes e forçar a população a render-se ou morrer de fome".

* AFP

 

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaFestival de Dança de Joinville: conheça a história do clássico "O Lago dos Cisnes" https://t.co/8AGN8oFsNm #LeianoANhá 8 minutosRetweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaAbertura oficial do Festival de Dança de Joinville acontece nesta quarta-feira https://t.co/teufhL0eX0 #LeianoANhá 13 minutosRetweet

Mais sobre

A Notícia
Busca