FMI prevê crescimento global sólido até 2019, mas alerta para riscos - Mundo - A Notícia

Versão mobile

 

 

Washington17/04/2018 | 15h37

FMI prevê crescimento global sólido até 2019, mas alerta para riscos

AFP
AFP

A economia global deve se expandir a 3,9% em 2018 e 2019 impulsionada pelos Estados Unidos e a zona do euro, um cenário ofuscado, no entanto, pelas probabilidades de tensões comerciais e a desaceleração na China, diz o relatório do Fundo Monetário Internacional (FMI) divulgado nesta terça-feira (17).

Em seu mais recente Panorama Econômico Mundial, a entidade financeira internacional não alterou a previsão de crescimento divulgada em janeiro, embora tenha revisado levemente para cima a estimativa de aumento nas economias desenvolvidas e nos Estados Unidos.

Ainda de acordo com o FMI, a economia global fechou 2017 com crescimento de 3,8%, um desempenho considerado o mais sólido desde 2011.

No relatório, o FMI expressou confiança de que as economias avançadas vão crescer "mais rápido que seu potencial" em 2018 e 2019, enquanto a zona do euro se inclinará a políticas monetárias mais ajustáveis, e os EUA se aproximarão, graças à reforma fiscal, do pleno emprego.

Em relação à zona do euro, o FMI estimou que o crescimento deste ano será de 2,4%, com elevação de 0,2 ponto em relação à previsão de janeiro.

Contudo, o FMI admitiu "se projeta que o crescimento se enfraquecerá" a partir de 2019, em uma tendência que deverá colocar a "diversos países com panoramas desafiantes de médio prazo".

Para o economista-chefe do FMI, Maurice Obstfeld, "os riscos geopolíticos não devem ser desconsiderados; e, claro, a recente escalada de tensões sobre o comércio apresenta um risco crescente".

- Impulso 'não é garantido' -

Já na introdução do estudo, o FMI apontou que o "impulso" registrado na economia global no ano passado "não é garantido".

Entre as nuvens pesadas que pairam neste cenário, se destacam a perspectiva de um conflito comercial entre Washington e Pequim, e o efeito negativo que a reforma fiscal deve ter sobre a economia americana nos próximos anos.

Para Obstfeld, apesar das "boas notícias" no curto prazo, "o cenário para o longo prazo é mais sóbrio".

Para o FMI, a reforma fiscal aprovada pelos Estados Unidos deve impulsionar um crescimento de 2,9% neste ano e de 2,7% em 2019, mas a partir de 2020 passará a frear o desempenho econômico.

Na visão de Obstfeld, a economia global deve "declinar gradualmente a cerca de 3,7%" depois de 2019.

O estudo do FMI destacou que o comércio internacional alcançou níveis históricos em 2017, mas começou 2018 sob a sombra de tensões comerciais que, no caso de não serem controladas, podem ter efeitos dramáticos.

"O fato de as maiores economias estarem flertando com uma guerra comercial em meio à ampla expansão econômica pode ser paradoxal", apontou Obstfeld.

Por isso, ele indica que "a perspectiva de imposição de restrições ao comércio e medidas de represália ameaçam erodir a confiança e descarrilar prematuramente o crescimento global".

* AFP

 

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaVereadores mirins de Joinville iniciam mandato em busca de cidadania e consciência política https://t.co/hQpDFE3Tch #LeianoANhá 4 horas Retweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaComeça a campanha de vacinação contra a influenza em Joinville https://t.co/aa0npraGIF #LeianoANhá 4 horas Retweet
A Notícia
Busca