Trump planeja novas tarifas contra China - Mundo - A Notícia

Versão mobile

 

 

Washington14/03/2018 | 17h29

Trump planeja novas tarifas contra China

AFP
AFP

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, avalia aplicar novas tarifas de bilhões de dólares às importações de produtos chineses, que afetariam principalmente os setores de tecnologia e telecomunicações, informou nesta quarta-feira (14) a imprensa americana.

A Casa Branca mira uma centena de produtos chineses, disse à AFP uma pessoa próxima das discussões, que apontou que o montante total ainda não foi definido.

Os temores de uma guerra comercial afetaram as ações americanas nesta quarta, com o índice Dow Jones caindo mais de 300 pontos, ou 1,3%, pouco após as 13h de Brasília.

Legisladores e representantes da indústria consideram que as novas restrições provocarão represálias que poderiam afetar os exportadores americanos.

Em uma reunião na semana passada, Trump disse ao seu gabinete e aos seus assessores que podia atacar a China com tarifas em resposta ao roubo de propriedade intelectual, segundo o portal Politico, que cita três pessoas próximas às discussões.

O representante comercial dos Estados Unidos (USTR), Robert Lighthizer, propôs um pacote de taxas à China equivalente a 30 bilhões de dólares, mas Trump considerou-o insuficiente, de acordo com a mesma fonte.

A proposta atual chegaria a 60 bilhões de dólares, segundo vários meios de comunicação.

"Não podemos permanecer cegos diante das práticas de comércio desenfreadas e injustas contra nosso país!", tuitou Trump nesta quarta-feira.

O mandatário tinha previsto se reunir nesta tarde com representantes da fabricante de aeronaves americana Boeing, antes de assistir a uma mesa redonda sobre a reforma fiscal.

O governo de Trump anunciou em 8 de março tarifas de 25% às importações de aço e de 10% às de alumínio.

No mesmo dia, Trump anunciou diálogos com Pequim para reduzir o déficit comercial dos Estados Unidos em 100 bilhões de dólares, indicando que autoridades chinesas tinham sido "muito colaborativas" e que Washington reduziria o déficit bilateral "de uma forma, ou de outra".

O déficit comercial dos Estados Unidos com a China chegou a um recorde de 375 bilhões de dólares no ano passado, mas as exportações americanas para o país asiático também alcançaram um nível inédito.

Dt-dg/ad/gv/ll/cc

* AFP

 

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaCom mudanças, JEC tenta reagir na Série C diante do Tupi-MG https://t.co/PNQIPCBf6N #LeianoANhá 1 horaRetweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaJEC/Krona derrota o Atlântico-RS e se mantém na liderança da Liga Nacional https://t.co/xFnO6JOcN4 #LeianoANhá 22 horas Retweet
A Notícia
Busca