Sem EUA, ministros se reúnem no Canadá para tratar do Acordo de Paris - Mundo - A Notícia

Versão mobile

Montreal16/09/2017 | 14h58

Sem EUA, ministros se reúnem no Canadá para tratar do Acordo de Paris

AFP
AFP

Os ministros do Meio Ambiente de 30 países se reúnem em Montreal, neste sábado (16), para definir metas destinadas a atingir uma redução drástica das emissões de carbono no âmbito do acordo climático de Paris - uma reunião sem a presença dos Estados Unidos.

Por iniciativa do Canadá, da União Europeia (UE) e da China, esta reunião acontece a cada 30 anos desde a assinatura do Protocolo de Montreal para a Proteção da Camada de Ozônio, "um acordo internacional histórico", de acordo com a ministra canadense da Mudança Climática, Catherine McKenna.

Este protocolo é o exemplo de que "o mundo deve continuar a agir para enfrentar a ameaça das mudanças climáticas", ressaltou.

"Estamos unidos e devemos agir juntos", acrescentou McKenna, ao receber ministros e representantes de mais de 30 países, lembrando os últimos eventos meteorológicos: tufões, inundações, furacões, entre outros.

"As mudanças são reais. Os fenômenos climáticos extremos são mais frequentes, mais poderosos e mais destrutivos", indicou a ministra, dando como exemplo a situação das "crianças em Barbuda, que não têm escola", depois que o furacão Irma devastou a ilha do Caribe há uma semana.

A fim de respeitar um calendário abalado pela saída dos Estados Unidos do Acordo de Paris sobre o Clima (COP21), por decisão do presidente Donald Trump, UE, China e Canadá assumiram a liderança do combate às mudanças climáticas e manifestaram sua determinação de seguir adiante.

"Não é uma discussão burocrática. É uma discussão política, com importantes etapas destinadas a conseguir uma transição para as energias limpas, de modo a deter o aquecimento global", frisou o comissário europeu para o Clima, Miguel Arias Cañete.

O objetivo é limitar o aumento da temperatura média do planeta a 1,5°C até 2050 em comparação com o nível da era pré-industrial.

Para novembro, está programada a próxima Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas (COP23) em Bonn, na Alemanha, sob a presidência das Ilhas Fiji.

A UE pretende apresentar propostas a seus Estados-membros, em breve, para reduzir suas emissões de carbono no setor dos transportes, anunciou seu presidente, Jean Claude Juncker, esta semana.

Outro grande emissor de CO2, a China, informou sua intenção de proibir a venda de carros movidos a combustíveis fósseis, um objetivo ambicioso para o primeiro mercado automotivo do mundo.

O Reino Unido também expressou sua intenção de agir na mesma direção, assim como a França, cujo ministro da Transição Ecológica, Nicolas Hulot, declarou sua vontade de proibir a venda de veículos a diesel e gasolina até 2040.

* AFP

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaMorre homem que teria sido atingido por engano durante ação do Bope em Piçarras https://t.co/kSLfGDr8QZ #LeianoANhá 51 minutosRetweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaMorre homem que teria sido atingido por engano durante ação do Bope em Piçarras https://t.co/zVE0QucsQX #LeianoANhá 51 minutosRetweet

Mais sobre

A Notícia
Busca