Trump tenta esquecer crise política e visita Macron na França - Mundo - A Notícia

Versão mobile

Diplomacia13/07/2017 | 06h08Atualizada em 13/07/2017 | 08h06

Trump tenta esquecer crise política e visita Macron na França

Na sexta-feira, o republicano participará do desfile militar de 14 de julho, festa nacional francesa pela queda da Bastilha

Trump tenta esquecer crise política e visita Macron na França SAUL LOEB/AFP
Trump e a esposa, Melania, desembarcam do avião presidencial Air Force One no aeroporto de Orly, em Paris Foto: SAUL LOEB / AFP
AFP
AFP

Em plena tempestade política por um suposto conluio com a Rússia, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, desembarcou nesta quinta-feira (13) na França para uma visita de dois dias. Na sexta (14), o republicano participará do desfile militar de 14 de julho, festa nacional francesa pela queda da Bastilha.

O avião presidencial Air Force One pousou no aeroporto parisiense de Orly. Trump dedicará a manhã de quinta-feira a encontros com funcionários civis e militares americanos, antes de iniciar a parte diplomática e comemorativa da visita.

Leia mais
Filho de Trump se reuniu com advogada para obter informação sobre Hillary
Trump afirma que filho é "inocente" e ataca a imprensa
Luiz Antônio Araujo: Trump não é Nixon

O presidente americano e a esposa Melania serão os convidados de honra do presidente Emmanuel Macron durante o tradicional desfile militar de 14 de julho na avenida Champs Elysées, coincidindo com o centenário da entrada dos Estados Unidos na I Guerra Mundial.

Com o convite, Macron, um centrista pró-europeu de 39 anos que assumiu a presidência francesa há apenas dois meses, espera iniciar uma relação privilegiada com o presidente americano. Segundo Macron, França e Estados Unidos têm pontos de convergência essenciais.

— A luta contra o terrorismo e a proteção de nossos interesses vitais. Seja no Oriente Médio ou na África, nossa cooperação com os Estados Unidos é exemplar — disse em uma entrevista ao jornal Ouest-France. — Precisamos dos Estados Unidos — admitiu.

A agenda intensa de Trump, que inclui uma cerimônia militar de boas-vindas no Palácio dos Inválidos, a visita ao túmulo do imperador Napoleão, encontros bilaterais e um jantar na Torre Eiffel, contribuirá para que o magnata republicano de 71 anos esqueça, ao menos por algumas horas, da crise política em Washington.

O filho mais velho do presidente, Donald Trump Jr., está envolvido em uma polêmica sobre contatos com a Rússia, em mais um capítulo do interminável escândalo sobre a suposta interferência do Kremlin nas eleições presidenciais de 2016.

Na quarta-feira (12), o canal CNN divulgou um vídeo que mostra o presidente Donald Trump em um jantar há quatro anos com figuras-chave da controvérsia sobre a suposta ingerência da Rússia nas eleições.

Leia mais notícias de Mundo

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaRejane: Roberto Carlos fez show inesquecível em Joinville https://t.co/LKwpOfABpu #LeianoANhá 1 horaRetweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaCrimes aumentam e SC enquanto efetivo policial cai https://t.co/DFZ7qUq5xO #LeianoANhá 1 horaRetweet
A Notícia
Busca