Advogado de Trump renuncia enquanto investigação sobre a Rússia prossegue - Mundo - A Notícia

Versão mobile

Washington21/07/2017 | 13h18

Advogado de Trump renuncia enquanto investigação sobre a Rússia prossegue

AFP
AFP

Um importante membro da equipe legal de Donald Trump renunciou nesta sexta-feira (21), num momento em que o presidente americano parece querer influenciar a investigação de um promotor especial sobre as ligações de sua equipe com a Rússia durante a campanha eleitoral do ano passado.

Mark Corallo, que coordenava a comunicação externa da equipe jurídica de Trump contra a crise, informou à AFP em um email que havia renunciado.

Ele não forneceu qualquer explicação para a renúncia, que ocorre após Trump entrar em território espinhoso durante uma longa entrevista ao New York Times, ao advertir o promotor especial Robert Mueller de não questionar as finanças da sua família.

Nomeado em meados de maio pelo secretário de Justiça, Mueller, um ex-diretor do FBI, lidera a investigação federal sobre se os colaboradores de Trump foram coniventes com as tentativas de Moscou de influenciar a eleição presidencial de 2016 nos Estados Unidos.

Trump rejeita as acusações, mas não conseguiu justificar por que seu filho mais velho e outros aliados-chave se reuniram com agentes russos que prometeram detalhes comprometedores de sua rival Hillary Clinton.

Enquanto a investigação parece dirigir suas atenções às transações financeiras, a imprensa americana indicou que vários aliados de Trump avaliam a possibilidade de perdões presidenciais aos envolvidos e buscam maneiras de desacreditar a investigação de Mueller.

Trump sugeriu diretamente que Mueller pode ter um conflito de interesses.

"Não há NENHUMA base para questionar a integridade de Mueller ou daqueles que trabalham com ele", declarou o ex-procurador-geral Eric Holder.

"Trump não pode definir ou limitar a investigação de Mueller. Se tentar isso vai criar problemas constitucionais e de dimensão criminal", acrescentou.

A Casa Branca recusou-se a descartar a possibilidade de que Mueller seja demitido, uma decisão que iria desencadear uma tempestade política e, talvez, uma crise constitucional.

Trump já demitiu e diretor do FBI, James Comey, em razão da investigação sobre a Rússia e criticou seu próprio secretário de Justiça.

* AFP

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaNovo pátio começa a receber veículos em Jaraguá do Sul https://t.co/QxYyPh5Liu #LeianoANhá 2 horas Retweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaCasal é preso por tráfico de drogas em rodoviária de Jaraguá do Sul https://t.co/t4bujWXEWp #LeianoANhá 2 horas Retweet
A Notícia
Busca